Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

planos
14.11.17
ED. 5745

Fora “Fora, Temer”

A cúpula do PT e o recém-contratado marqueteiro Sidônio Palmeira, indicação de Jaques Wagner, buscam um mote para 2018. A palavra de ordem “Fora Temer”, que nunca foi um slogan de campanha, já deu o que tinha de dar, ao cumprir sua função pós-impeachment de Dilma Rousseff – ainda que tenha mobilizado poucos manifestantes no eventos de rua. O risco do PT é perder o timing e só definir o novo mote depois de um outro lema ter surgido naturalmente em decorrência dos fatos: “Solta Lula“.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

13.11.17
ED. 5744

Preleções sobre o banco de reservas da candidatura Lula

O presidente do PDT, Carlos Lupi, e o ex-governador Jaques Wagner têm proseado sobre a candidatura do campo da esquerda se Lula for impedido de participar da disputa. Não são muitas as alternativas. O nome de Wagner surgiu, é claro, em várias combinações. É um notório candidato a pré-candidato se o titular não for para a eleição. As outras hipóteses levam a Ciro Gomes. Na primeira, ele encabeçaria a chapa com o ex-prefeito Fernando Haddad como vice-presidente. Outra derivada seria Ciro sair para a presidência com um empresário como vice, repetindo o modelo dos Lula I e II. O nome ideal é o filho de José Alencar, vice de Lula. O dono da Coteminas, Josué Gomes da Silva, esteve cotado para ser ministro por pelo menos três vezes nos governos de Lula e Dilma Rousseff. E uma chapa com Haddad na presidência? O consenso é que o político paulista não agrega à esquerda e ainda fraciona o monolítico e majoritário eleitorado do PT no Nordeste. O que ambos querem é que Lula supere a Lava Jato. Se isto acontecer, sua eleição para presidente é a única coisa praticamente certa na política brasileira.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.