fbpx
15.10.20

O super xerife

A fusão da Susep, CVM e Previc, que volta e meia ressurge na agenda de Brasília, voltou à baila no Ministério da Economia. As apostas são de que agora a criação desse super órgão regulador sai do papel. Conta ponto o prestígio da musa Solange Vieira, superintendente da Susep. Paulo Guedes acha a executiva o máximo. O RR também.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

15.10.20

No fundo do buraco do metrô

Um dos procuradores da Lava Jato em São Paulo crava para o RR: novas investigações apontam que o executivo Dalton Avancini, ex-Camargo Corrêa, seria líder do suposto esquema de fraudes em licitações das obras das linhas 2, 4 e 5 do metrô de São Paulo. Os acertos se davam no âmbito do “Tatu Tênis Clube”, como as grandes empreiteiras do país se referiam ao esquema de cartel montado para combinar resultados de concorrências, entre outros ilícitos. Procurada, a defesa de Avancini não se pronunciou. Também consultado, o MPF-SP disse apenas “não confirmar a informação”. Entende-se o cuidado: o Ministério Público acaba de denunciar Avancini e outros quatro executivos acusados de formação de cartel nas obras do metrô paulista. O ex-Camargo Corrêa, ressalte-se, já tem forte envolvimento na Lava Jato. Em 2015, fechou delação premiada. Mas, de lá para cá, novas acusações caíram na sua conta.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

15.10.20

A luta do século

Teoria conspiratória que circula no entorno de João Doria. A demolição da Lava Jato é para tornar Lula elegível. Bolsonaro quer disputar a eleição de 2022 com o ex-presidente. Ele considera que seria uma vitória acachapante e simbólica. E, com Lula na competição, Bolsonaro tiraria Sérgio Moro da disputa. Faz sentido como ficção científica.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

15.10.20

Estado paralelo

A Comissão Externa do Pantanal, que reúne ambientalistas e outros atores da sociedade civil, está em contato direto com o Banco Interamericano de Desenvolvimento. Tenta negociar a retomada do programa do BID para a região do Pantanal, que previa a liberação de US$ 400 milhões. O projeto foi paralisado por divergências com o governo do Mato Grosso.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

15.10.20

Até logo, Brasil?

O ex-ministro da Justiça Sérgio Moro tem recebido diversos convites de universidades norte-americanas para passar uma temporada como professor visitante. Moro já teria se decidido pela Columbia University.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

15.10.20

Classificados

Há uma oferta sem igual de salas de cinema no mercado. O Itaú-Unibanco está dando uma geral para ver o que encontra de comercializável. Vai acabar se tornando o padrinho do setor.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

15.10.20

Na pista

A relação entre a Gol e a Qatar Airways está na pista para ir além do compartilhamento de Nmilhas.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

15.10.20

Reta final

As fintechs são só fintechs. O empresariado emergente desse setor parece não ter interesse em se posicionar sobre temas como democracia, desenvolvimento e inclusão social. Pena. Se alguém os viu opinarem sobre esses assuntos, por favor avisem ao RR.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

15.10.20

Comissão 5G

Os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Davi Alcolumbre, vão levar ao governo a proposta de criação de uma comissão de parlamentares para participar da contratação da tecnologia 5G no Brasil. Esse grupo teria a missão de discutir medidas com o Ministério da Comunicação e acelerar projetos de lei relacionados aos leilões da nova frequência. Ou seja: o Congresso passaria a ter algum protagonismo em relação a um projeto que deve movimentar mais de R$ 300 bilhões em investimentos. A ver se o Palácio do Planalto vai dar essa brecha.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

15.10.20

Velocidade máxima

Mais uma ideia polêmica relacionada ao trânsito começa a ganhar corpo com o forte apoio do governo. Trata-se de um projeto de lei que permitiria a motoristas pagarem suas multas no ato da infração, diretamente ao agente de segurança responsável pelo flagrante. A proposta é encabeçada pelo senador Laisier Martins. Os opositores da medida alegam que esse modelo será um prato cheio para “cervejinhas” e outros agrados para escapar do flagrante. O governo Bolsonaro já mostrou ser adepto de uma política mais frouxa para o trânsito, a exemplo da redução do número de pontos necessários para a suspensão da carteira de habilitação.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.