fbpx
14.01.22

O 7 de setembro de Bolsonaro

Assessores palacianos planejam fazer dos festejos do bicentenário da Independência, em setembro, uma efeméride, um híbrido de data cívica com campanha eleitoral. Todos os ex-presidentes vivos seriam convidados, à exceção de Lula e Dilma Rousseff, cuja exclusão seria atribuída a pendências judiciais ainda existentes relacionadas à prática de corrupção. Não deixaria de ser uma forma de reforçar que principalmente Lula ainda é suspeito de meliância.

É difícil prever se FHC, José Sarney, Fernando Collor e Michel Temer se disporiam a esse papel “cívico”. Mas a presença de todas as autoridades da República, incluindo ministros do STF e comandantes das Forças Armadas, seria um estímulo ao comparecimento. Em tempo: o secretário de Cultura, Mario Frias, almeja assumir a organização da cerimônia.

Dentro do Palácio do Planalto, o que se diz é que Frias ficaria encarregado dos eventos de adulação ao presidente Bolsonaro. A parte política seria de responsabilidade dos generais que cercam o presidente e de seu staff do Centrão, leia-se Ciro Nogueira, com a colaboração de Arthur Lira, presidente da Câmara. O Centrão deve comparecer em peso.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

14.01.22

MPF fecha o cerco contra as montadoras

As montadoras não vão se safar assim tão cedo do monóxido de carbono que despejam no ar. Segundo uma fonte do Ministério Público Federal (MPF), o órgão deverá recorrer à Justiça da decisão do Ibama, que deu mais três meses para o setor automotivo adequar os modelos ainda fora dos novos limites de poluição estabelecidos pelo Proconve (Programa de Controle de Emissões Veiculares). Na prática, esses três meses já duram mais de três anos.

Desde 2018, os fabricantes de veículos têm conhecimento das exigências impostas pelo programa. Mas, com a complacência do Ibama, foram ziguezagueando em torno da questão e conseguiram adiar por diversas vezes o cumprimento das regras – uma hora, escorando-se na pandemia; outra, na falta de peças. Procurada, a Anfavea diz que “não tem conhecimento dessa ação do MPF”.

Em relação às normas ambientais, informa que “desde o fim do ano passado, todas as montadoras já vêm produzindo automóveis e comerciais leves com as novas especificações de emissões.”. A Anfavea confirma que “menos de 20 mil veículos L6 que terminaram o ano incompletos pelo atraso na entrega de itens eletrônicos”.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

14.01.22

Americanas mesmo

O martelo está batido: a Americanas SA vai abrir seu capital em Nova York ainda neste semestre. Será o grand finale da reestruturação societária que levou à criação da nova holding.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

14.01.22

Debelando incêndio

O chanceler Carlos Alberto França articula um encontro com seu congênere argentino, Felipe Solá. Está longe de ser uma conversa de rotina, para cumprir tabela. A missão de França é contornar a mais recente canelada diplomática de Jair Bolsonaro no país vizinho: a recusa à ajuda humanitária da Argentina às vítimas das enchentes na Bahia.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

14.01.22

Energia que vem da China

Entreouvido pelo RR nos corredores do Ministério de Minas e Energia: a Suntech Power, um dos maiores fabricantes chineses de equipamentos para usinas solares, tem planos de se instalar no Brasil.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

14.01.22

Quem corre por fora corre melhor?

Já está sobre a mesa do ministro Ciro Nogueira a lista tríplice de candidatos à diretoria da Antaq em substituição a Alberto Torkaski, que deixará o cargo no dia 17 de fevereiro. Disputam a vaga três nomes da Casa: Alexandre Lopes, superintendente de Administração e Finanças da Agência; José Renato Ribas Filho, superintendente de Desempenho, Desenvolvimento e Sustentabilidade, e Alber Vasconcelos, superintendente de outorgas. Nos bastidores da Antaq, a inclusão de Lopes na lista foi tida como surpreendente. Ele está na agência há menos de um ano após ter deixado a presidência do Inep, vinculado ao Ministério da Educação. Pelo jeito, alguém “lá em cima” olha por ele.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

O RR apurou que o Carrefour tem planos de lançar uma nova bandeira, voltada à venda de alimentos naturais, frescos e perecíveis. Parafraseando Chacrinha, também no varejo, nada se cria, tudo se copia. A rede concorreria com o Hortifruti e com a Pão de Açúcar Fresh, do Casino. Procurado, o Carrefour não quis se pronunciar.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

14.01.22

Missão dada, missão cumprida

O jantar em clima de harmonia que reuniu, entre outros convidados, o blogueiro foragido Allan dos Santos e o ministro Fabio Faria, na última sexta-feira, em Miami, é uma prova de que Eduardo Bolsonaro cumpriu bem sua missão. O “03” teria sido o responsável por apaziguar os ânimos de Santos, que, na reta final de 2021, apoiou publicamente Olavo de Carvalho em críticas feitas ao presidente Jair Bolsonaro e ao seu governo.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

14.01.22

Os usineiros agradecem

Artur Lira está usando de todo o seu prestígio junto a Jair Bolsonaro para convencê-lo a voltar atrás e assinar a MP que permite e venda direta de combustíveis aos postos. O alagoano Lira fala, sobretudo, pelos usineiros do Nordeste, que estariam entre os principais beneficiados com a medida.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

14.01.22

Saúde é o que interessa

A norte-americana Bain Capital está em busca de ativos na indústria farmacêutica no Brasil. A gestora já é acionista da mega empresa de medicina de grupo criada com a fusão entre Hapvida e Intermédica. E recentemente comprou a Bionexo, empresa de tecnologia voltada à área de saúde.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

14.01.22

O 7 de setembro de Bolsonaro

Assessores palacianos planejam fazer dos festejos do bicentenário da Independência, em setembro, uma efeméride, um híbrido de data cívica com campanha eleitoral. Todos os ex-presidentes vivos seriam convidados, à exceção de Lula e Dilma Rousseff, cuja exclusão seria atribuída a pendências judiciais ainda existentes relacionadas à prática de corrupção. Não deixaria de ser uma forma de reforçar que principalmente Lula ainda é suspeito de meliância.

É difícil prever se FHC, José Sarney, Fernando Collor e Michel Temer se disporiam a esse papel “cívico”. Mas a presença de todas as autoridades da República, incluindo ministros do STF e comandantes das Forças Armadas, seria um estímulo ao comparecimento. Em tempo: o secretário de Cultura, Mario Frias, almeja assumir a organização da cerimônia.

Dentro do Palácio do Planalto, o que se diz é que Frias ficaria encarregado dos eventos de adulação ao presidente Bolsonaro. A parte política seria de responsabilidade dos generais que cercam o presidente e de seu staff do Centrão, leia-se Ciro Nogueira, com a colaboração de Arthur Lira, presidente da Câmara. O Centrão deve comparecer em peso.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

14.01.22

MPF fecha o cerco contra as montadoras

As montadoras não vão se safar assim tão cedo do monóxido de carbono que despejam no ar. Segundo uma fonte do Ministério Público Federal (MPF), o órgão deverá recorrer à Justiça da decisão do Ibama, que deu mais três meses para o setor automotivo adequar os modelos ainda fora dos novos limites de poluição estabelecidos pelo Proconve (Programa de Controle de Emissões Veiculares). Na prática, esses três meses já duram mais de três anos.

Desde 2018, os fabricantes de veículos têm conhecimento das exigências impostas pelo programa. Mas, com a complacência do Ibama, foram ziguezagueando em torno da questão e conseguiram adiar por diversas vezes o cumprimento das regras – uma hora, escorando-se na pandemia; outra, na falta de peças. Procurada, a Anfavea diz que “não tem conhecimento dessa ação do MPF”.

Em relação às normas ambientais, informa que “desde o fim do ano passado, todas as montadoras já vêm produzindo automóveis e comerciais leves com as novas especificações de emissões.”. A Anfavea confirma que “menos de 20 mil veículos L6 que terminaram o ano incompletos pelo atraso na entrega de itens eletrônicos”.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.