01.11.17
ED. 5737

O bilhete de saída da BHP

Em meio ao esforço da Vale para tornar-se uma das empresas com a menor relação endividamento líquido/Ebitda – coisa de 0,4% – pode sobrar um dinheirinho para dar saída para a BHP Billiton da Samarco. É o que o grupo anglo australiano mais quer na vida – ver RR edição de 14 de dezembro de 2015. Possivelmente, o preço seria baixinho. Na geopolítica da Vale, essa medida somada a uma eventual associação com a Cemig Geração ou mesmo a compra de parte dos ativos, além da já expressiva participação na economia do estado, elevaria a companhia ao status de imperadora das Minas Gerais. A mineradora teria um cacife político que ela só teve no período dos generais Juracy Magalhães e João Batista Figueiredo.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.