Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

planos
09.06.17
ED. 5637

Bomba-relógio

Roberto Jefferson, o delator do “mensalão“, vislumbra uma brecha para disputar as eleições em 2018. Entre os seus advogados, o entendimento é que o indulto na pena principal concedido pelo STF se estende aos seus direitos políticos.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

08.12.16
ED. 5512

Hierarquia

A Justiça deu um “castigo extra” para Katia Rabello, acionista do antigo Banco Rural. Entre os executivos do Rural condenados no “mensalão”, Katia foi a última a ter sua pena flexibilizada. A decisão do STF para que ela passe ao regime aberto só veio dois meses após a concessão de igual benefício ao ex-vice-presidente do banco José Roberto Salgado. Melhor sorte teve o ex-diretor Vinícius Samarane. Condenado a oito anos e nove meses, foi perdoado pelo STF em março.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

22.02.16
ED. 5311

Caso FHC é o tira-teima da isonomia

  Se houver alguma justiça além da divina nesta terra de obliquidades, o Ministério Público e a Polícia Federal devem iniciar imediatamente uma investigação sobre os indícios de comportamento criminoso do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Já existem evidências, delação sem prêmio, várias contas no exterior, apartamento em Paris, sítio em parceria com empreiteira, dinheiro recebido de uma empresa isenta de impostos nas suas vendas em aeroportos e até denúncia de falsificação de teste de DNA.  Para juízes e policiais, será um maná: é a possibilidade das autoridades que destrincham os casos do mensalão, petrolão e devassam sítios e apartamentos triplex demonstrar que as operações realizadas até agora não são ideológicas. Vento que venta lá, venta cá. O RR sugere, com candura, um nome para a PF batizar com a criatividade de praxe a investigação: “Operação Papudo”.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

03.08.15
ED. 5176

Após lançar um livro de memórias

Após lançar um livro de memórias, Roberto Jefferson – delator não premiado do mensalão – tem se dedicado a escrever poesias. Há uma trova dedicada a José Dirceu.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.