03.07.17
ED. 5652

Cemig faz um mau (bom) negócio

A iminente venda da participação de 10% na Hidrelétrica de Santo Antônio está longe de ter o desfecho sonhado pela diretoria da Cemig. Segundo o RR apurou, o acordo com a chinesa State Power Investment Overseas será assinado ainda nesta semana, envolvendo o pagamento de R$ 700 milhões. Quando iniciou as tratativas com os chineses, a pedida da Cemig estava em R$ 1,3 bilhão, colada ao valor contábil do ativo lançado em seu balanço. Entre o ideal e o factível, a estatal mineira teve de ceder para não perder o negócio. De acordo com uma fonte que participa da operação, o valor final do acordo foi achatado pelas pendências financeiras da Santo Antônio, a começar pelos litígios relacionados à venda de energia no mercado spot. A saída da usina será um passinho a mais na caminhada da Cemig para reduzir seu passivo. Se a empresa usar todos os recursos para pagar credores, a relação dívida líquida/ebitda cairá de 4,6 vezes para 4,4 vezes. Ou seja: ainda há muitas léguas a percorrer até que a Cemig consiga trazer sua alavancagem ao índice desejado de três para um.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.