Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

planos
22.02.17
ED. 5566

Amazon clica na Netshoes

Realizar o tão prometido IPO ou ceder ao assédio de um gigante mundial do e-commerce? Este é o doce dilema dos sócios da Netshoes. A Amazon está cercando a empresa por todos os lados. Não é mera força de expressão. Os norte americanos estariam mantendo conversas paralelas com os principais acionistas do site de vestuário e artigos esportivos: aqui, Marcio Kumruian, fundador e CEO da empresa; lá fora, o Temasek, fundo soberano de Cingapura, e as gestoras Tiger Global e Iconiq Capital. A aquisição da Netshoes daria à Amazon uma fatia significativa das vendas online de vestuário esportivo no Brasil – seu faturamento gira em torno de R$ 2,5 bilhões por ano. Os norte americanos herdariam também operações na Argentina e no México. Consultada, a Netshoes nega a venda.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

16.02.17
ED. 5562

Natura quer menos vendedoras e mais internet

A expectativa no mercado é que a Natura aproveite a divulgação de resultados, no próximo dia 23, não apenas para formalizar o projeto de expansão de lojas físicas, mas também para anunciar também um substancial plano de investimentos na área de e-commerce. O mote seria atrelar cada vez os procedimentos e rotinas das consultoras de venda ao site e ao aplicativo da empresa. A estratégia, claro, tem sua dose de crueldade, nessa inexorável batalha entre a tecnologia e o emprego – de vendedor já conhecido.

O objetivo é atrair um número cada vez maior de consumidoras diretamente para sua plataforma online, sem a necessidade de intervenção das consultoras. É o mesmo conceito das lojas físicas, mas com um potencial de escala maior e custos operacionais consideravelmente menores. Procurada, a Natura não quis se pronunciar.

Dizer que as “Naturetes” formam uma espécie em extinção é um superlativo exagero. Trata-se de um imprescindível exército de dois milhões de consultoras que respondem por aproximadamente 93% do faturamento da Natura. Mas é nítido o empenho da empresa em reduzir a dependência das promotoras – e, aos poucos, diminuir o número de representantes. A meta é aumentar a fatia dos demais canais de venda dos atuais 7% para 12% em três anos. Há, inclusive, simulações neste sentido sendo feitas no exterior. A França é uma cobaia de luxo: a Natura extinguiu sua equipe de vendas diretas no país – formada por apenas mil consultoras – para concentrar a comercialização dos produtos em lojas físicas e na internet.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

04.11.16
ED. 5489

Cartão de visitas

 Frederico Trajano só tem olhos para o e-commerce. O Magazine Luiza vai fechar o ano – o primeiro sob o comando do herdeiro de Luiza Helena Trajano – com um aumento de 40% na receita com vendas online.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

05.07.16
ED. 5404

Lemann digital

 A incursão digital de Jorge Paulo Lemann não ficará restrita ao Snapchat, rede com 150 milhões de usuários. Por meio da 3G Capital, Lemann tem interesse em se associar à Instaby, que junta o Instagram, de compartilhamento de imagens, ao e-commerce. Consultada, a 3G não se pronunciou, mas a fonte do RR é um parceiro da companhia na área digital. Já Rafael Bluvol, um dos donos da Instaby, disse ao RR que ainda não foi procurado, mas, se Lemann aparecer, será recebido com tapete vermelho.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.