fbpx

Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

planos
29.09.21

Controle remoto

A iminente filiação de Marco Antônio Cabral no PSL está sendo articulada diretamente de uma cela de Bangu 8, onde está seu pai, Sergio Cabral.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

25.05.21

Balões de ensaio

Desafetos de Sergio Cabral identificam as digitais do próprio ex-governador no vazamento de trechos da sua delação premiada, notadamente nas denúncias a membros do Judiciário.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

22.02.21

Crime e castigo

A quem interessar possa: o ex-governador Sergio Cabral procura uma editora para publicar seu livro de memórias.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

25.11.20

Vade retro

Voltou à baila a história da venda da sede do Jockey Club do Rio. É um papo velho. Há centilhões de interesses envolvidos no negócio que não deixam ele andar. Se Sérgio Cabral e a Odebrecht ainda estivessem dando cartas, talvez…

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

O marketing da campanha de Benedita Silva à Prefeitura do Rio vai bater em Sergio Cabral, Garotinho, Witzel etc. Um dos principais motes da propaganda será o fato de que Benedita é a única, entre os seis últimos governadores do Rio de Janeiro, que não foi presa. Não é nada, não é nada…

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

Qual o percurso do fio que junta Carlos Emanuel Miranda, apontado como “gerente da propina” do ex-governador Sergio Cabral, a FSB Comunicação e Regis Fichtner, ex-chefe da Casa Civil do governo do Rio? Três chances para acertar: 1. A agência de comunicação recebeu dinheiro por fora, como disse Miranda em juízo; 2. A empresa recebeu dinheiro pelos seus serviços pagos por dentro, direitinho; 3. Regis Fichtner e a FSB não têm nada a ver um com o outro.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

04.08.20

Três letras que fazem o chão tremer

A candidata da oposição à presidência da Firjan, Ângela Costa, contratou um tanque panzer para conseguir o seu intento. A agência de comunicações FSB, um potentado do setor, é uma especialista em dar nó em pingo d’água enlameado. A lama da citação não tem nada a ver com a Firjan; só qualifica a competência mais específica dos sujeitos. A FSB esteve ao lado de praticamente todos os investigados e encarcerados no Lava Jato. Chegou a ser muito combatida por prestar serviços por 10 anos às gestões de Sérgio Cabral e Luiz Fernando Pezão, alternando a inexistência de contratos com documentos mais “espertos”. Era a contratada dileta do chefe do gabinete civil de Cabral, o inefável Regis Fichtner. Diga-se de passagem que a FSB inaugurou a era de assessoria do governo inteiro. Um bombom. Os caras são bons, indiscutivelmente, mas dão medo com suas “práticas eficientes”.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

07.05.20

O sobrenome pesa

Marco Antonio Cabral, filho do ex-governador Sergio Cabral, já busca apoio – político e, sobretudo, financeiro – para disputar uma vaga na Câmara dos Vereadores. Marco Antônio, não custa lembrar, foi reprovado no primeiro teste eleitoral pós-Lava Jato: não se reelegeu deputado federal em 2018. Em quatro anos, despencou de 190 mil para pouco menos de 20 mil votos.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

29.04.20

Amnésia pontual

A memória de Sergio Cabral costuma falhar quando o assunto é Arthur Menezes Soares Filho, o “Rei Arthur”, que fez a festa como um dos maiores prestadores de serviços para órgãos públicos do Rio, a exemplo do Detran. Segundo informações filtradas da PF, em sua delação, o ex-governador deixou várias lacunas em relação ao empresário, foragido em Miami.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

01.04.20

Declaração de renda

Após recuperar 27 pedras de diamantes e 4,5 quilos de ouro guardados por Sergio Cabral em bancos da Suíça, a Lava
Jato está agora levantando uma nova conta do ex-governador, no mesmo país. É mais um dos anéis entregues pelo próprio Cabral em sua delação na esperança de reduzir algumas décadas na sua pena, que, por ora, soma 280 anos.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.