14.02.19

Um santo remédio para os laboratórios

A indústria farmacêutica levou aos Ministérios da Economia e da Saúde uma proposta de flexibilização das regras para o reajuste dos preços dos medicamentos. O setor reivindica que o governo solte gradativamente as amarras, dando ao mercado algum grau de autonomia na precificação dos remédios. Hoje, os reajustes anuais são definidos pela Câmara Técnica de Regulação de Medicamentos (CMED), vinculada à Anvisa. A mudança se concentraria em produtos de segmentos mais competitivos, como medicamentos isentos de prescrição e genéricos. As novas regras teriam como contrapartida o compromisso da indústria farmacêutica em aumentar seus investimentos em pesquisa e desenvolvimento. Na prática, o governo deixaria de estipular um teto para o reajuste de um determinado grupo de remédios, deixando que o mercado ditasse as regras.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.