30.08.19

Conexões?

Além do Atacadão, a Prefeitura de São Paulo e o Ministério Público têm fortes indícios de que outras redes varejistas pagaram propina a fiscais para comprar alvarás de funcionamento de lojas. Corta a cena: não custa lembrar que, em junho, a matriz do Walmart firmou acordo com o departamento de Justiça dos Estados Unidos. Aceitou pagar uma multa de US$ 282 milhões para encerrar investigações de corrupção em quatro países, entre os quais o Brasil, sem tornar pública a natureza do delito.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.