28.09.18
ED. 5963

Castelo de cartas

O politólogo Alberto Almeida está prestes a ver desdita sua tese sobre a inevitabilidade da disputa entre “mortadelas” e “coxinhas” no segundo turno das eleições presidenciais. Almeida produziu centenas de gráficos e tabelas para sustentar sua visão dos fatos. Mas perdeu, playboy! A polarização será outra, com Bolsonaro no lugar que, em suas elucubrações, caberia ao PSDB. Almeida, autor dos best-sellers “A cabeça do brasileiro” e a “A cabeça do eleitor”, poderia escrever “A cabeça do cientista político”. Seria uma forma de explicar suas obsessões e de outros craques do ramo.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.