01.07.15
ED. 5153

Governo reforça o discurso do “Xô, inflação”

O governo estuda sinalizar com mais força ainda o seu empenho no combate inflacionário. A primeira medida nessa direção foi a redução das bandas inflacionárias para 1,5% em 2017. O segundo movimento poderá ser a elevação da meta de superávit primário de 2% para 2,4% em 2016. A ideia é que a nova projeção tenha um impacto compensatório frente a  bastante provável redução para baixo da meta de 1,2% no superávit primário deste ano. O superávit maior, contudo, pode não significar necessariamente mais arrocho fiscal. O governo ganharia todo o restante de 2015 para preparar um programa de captura de receitas extraordinárias, o que aliviaria o orçamento de cortes maiores e a economia da sanha de novos impostos. A estratégia de Joaquim Levy é não deixar sem um contra-ataque qualquer deslize nas metas do governo. É o toma lá dá cá.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.