Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

planos
08.06.17
ED. 5636

“Sua casa, meu lucro”

Crise? Só se for no terreno do lado. O “Minha Casa, Minha Vida” criou um bolsão de prosperidade entre os escombros do setor imobiliário. Dois exemplos:

  

A Tenda vai investir R$ 2 bilhões na compra de terrenos. Com 70% do seu faturamento pendurados no programa do governo, a maior preocupação da empresa neste momento é recompor seu landbank para futuros projetos de habitação popular. Grande parte do banco de terrenos da Tenda já está comprometida com os lançamentos previstos para 2017 e 2018.

  

A MRV caminha para fechar o mês de junho com o maior Valor Geral de Vendas para um primeiro semestre da sua história. Será também o vigésimo trimestre seguido de geração de caixa. O “Minha Casa, Minha Vida” responde por mais de 95% da sua receita.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

08.05.17
ED. 5613

Fundos fazem fila na porta da Tenda

Além da Jaguar Real Estate, que está adquirindo entre 20% e 30% da Tenda, a Gafisa estaria em conversações com outros dois fundos internacionais dispostos a entrar no capital da controlada. Quem te viu quem te vê. Antes deficitária, a Tenda virou os quindins da Gafisa com a forte expansão das habitações populares – aliás, o que sobrou do setor.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

sam-rr-20
20.12.16
ED. 5520

Brasil é o novo ringue de Sam Zell e Jaguar Partners

A venda de 30% da Tenda para a norte-americana Jaguar Growth Partners é o pano de fundo de uma acirrada rivalidade entre dois dos maiores investidores de real estate dos Estados Unidos, uma disputa figadal que agora chega ao Brasil. A gestora nova-iorquina desembarca no setor justo no momento em que o magnata Sam Zell, dono da Equity International, também se movimenta para a compra de ativos no país.

Segundo o RR apurou, seu alvo é a paulista Viver (controlada pelo fundo norte-americano Paladin), que entrou em recuperação judicial. O timing da investida da dupla no Brasil chama a atenção: nada que envolva a Jaguar e a Equity International deve ser encarado como coincidência. Uma gestora nasceu da costela da outra. O principal sócio da Jaguar, Garry Garrabrant, era o executivo-chefe da Equity International até 2012, quando saiu da sombra de Zell para montar a sua própria gestora. A ruptura não foi nada amigável.

Consta que Garrabrant carregou consigo importantes investidores da antiga casa e entrou em negócios que havia mapeado quando ainda estava ao lado de Zell. Em pouco tempo, teria sob o seu guarda-chuva cerca de US$ 7 bilhões em ativos, não muito longe das cifras da Equity Internacional (cerca de US$ 9 bilhões). Desde então, não por coincidência, os desafetos têm esbarrado em vários mercados: recentemente disputaram a compra de ativos imobiliários na China e na Índia. Até a porta de entrada da Jaguar Growth Partners no setor de real estate no Brasil parece ter sido escolhida a dedo por Garry Garrabrant. Ainda que indiretamente, a Tenda Construtora já foi a casa de Sam Zell: até 2010, ele era um dos maiores acionistas da Gafisa, controladora da companhia.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

01.11.16
ED. 5487

Prenúncio

 No mercado imobiliário, a decisão da Gafisa de antecipar para este ano a oferta de ações da Tenda, sua subsidiária, foi interpretada como uma garantia de que o governo anunciará até dezembro uma nova fase do “Minha Casa Minha Vida”. O programa é responsável por mais de 70% das vendas da construtora.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

03.05.16
ED. 5360

Tenda

 A construtora Tenda, que depende fundamentalmente do “Minha Casa, Minha Vida”, revisou mais uma vez sua projeção de lançamentos para 2016. A subsidiária da Gafisa cortou a cifra de R$ 1 bilhão para R$ 700 milhões. Procurada pelo RR, a Tenda não comentou o assunto.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

22.12.15
ED. 5274

Liquidação

 A exemplo da controlada Tenda, a Gafisa também está reduzindo seu banco de terrenos. A construtora tem cerca de R$ 6 bilhões de propriedades em seu estoque. A ideia é reduzir esse encalhe em 10%. Procuradas pelo RR, a Gafisa não comentou o assunto.  

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

A gestora de recursos árabe Red Sea Housing, que já se associou a  Direcional Engenharia, está em negociações para a compra de uma participação na Gafisa. Trata-se de uma operação dois em um: entrar na Gafisa significa ter também um pedaço da Tenda, especializada na construção de imóveis para a população de baixa renda.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.