24.01.19
ED. 6040

Venceu, venceu

Ilan Goldfajn atravessou seu mandato no Banco Central personificando um dilema: teria mantido os juros altos demais em um momento que a inflação já imbicava para baixo, provocando desemprego e queda da atividade econômica; ou segurado os juros para reforçar a ancoragem das expectativas, queda firme da inflação e uma redução das taxas feita de forma consistente? Com a queda da inflação e a perspectiva de juros estáveis a perder de vista, Ilan ganhou a parada.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.