13.02.19
ED. 6054

O desemprego de Bolsonaro

A equipe econômica de Jair Bolsonaro está dobrando suas apostas em relação às previsões do mercado de que o desemprego permanecerá na faixa de 12% do PIB em 2019. Estima que desce a 11% ou um pouco mais abaixo. Uma queda de um ponto percentual pode parecer pouca coisa, mas não é. O desemprego é uma das últimas variáveis econômicas a sofrer com a queda da atividade econômica e uma das últimas a subir com a melhoria. Em 2020 viria um aumento mais consistente da taxa de ocupação. Os últimos números dão alento. Em novembro, o aumento da ocupação foi de 428 mil postos, o que gerou uma taxa líquida de crescimento de empregos superior a 200 mil postos. Foi o quarto mês consecutivo da taxa líquida de crescimento da ocupação de mão de obra. A ver.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.