25.07.18
ED. 5917

Capítulos da novela “Em busca do vice alckmista”

Era por volta das 17h de ontem quando o empresário Josué Gomes (PR) encontrou-se com o ex-governador Geraldo Alckmin no escritório político do tucano na capital paulista para comunicar que não aceitaria ser seu vice na chapa presidencial. Os dois já tinham se encontrado pela manhã, mas a conversa não fora conclusiva. Assim que se despediram, Alckmin disparou mensagens para seus aliados no Centrão. Era preciso pensar, e rápido, em um plano B. Alckmin disse aos aliados que tem suas preferências, mas vai respeitar “totalmente” o novo nome escolhido pelo grupo. Os dirigentes do PR, DEM, PP, SD e PRB combinaram então, por WhatsApp, de fazer uma força-tarefa para pressionar o empresário mineiro a mudar de opinião. “Se não for possível fazê-lo reconsiderar o convite, que pelo menos ele não suba no palanque do petista Fernando Pimentel”, disse um dos dirigentes ao RR. O grupo marcou uma nova reunião em Brasília amanhã para afinar o discurso. Em seguida, vão encontrar com Alckmin. A ideia é fazer o anúncio formal da aliança PSDB-Centrão, mas deixar em aberto o nome do vice até a convenção.

• • •

Dentro do PSDB o nome preferido para ser vice de Geraldo Alckmin é o da senadora Ana Amélia (PP-RS). Além de ser mulher, ela traz votos do Sul, onde Jair Bolsonaro tem maioria das intenções de voto. O DEM, porém, disputa a indicação do vice, e já lançou o ex-ministro da Educação, Mendonça Filho (PE). Para complicar ainda mais o meio de campo, o Solidariedade resolveu colocar na mesa o nome do ex-ministro Aldo Rebelo. A diversidade é tão grande que já se fala até no nome do ex-ministro Nelson Jobim.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.