21.06.17
ED. 5644

Um Rabello de Castro para cada estação

O grand finale da gestão Maria Sílvia Bastos Marques no BNDES, ocorreu ontem, quando o banco comemorou 65 anos. A homenagem feita pelo seu sucessor, Paulo Rabello de Castro, ao economista e professor Carlos Lessa, ex-presidente da instituição, foi um verdadeiro manifesto de um novo tempo. Lessa foi agraciado com a entrega da medalha “Mérito Desenvolvedor”, por indicação da Associação dos Funcionários do BNDES.

A cena teve tintas fortes. Rabello de Castro desceu do palco onde se encontrava para abraçar o professor, que estava sentado na primeira fila da plateia. Quem viu a emoção externada por Rabello de Castro até acreditou que ele sempre teve apreço por Lessa. Mas o RR já tinha previsto: Rabello de Castro, um pragmático monolítico, será adorado pelos funcionários do banco.

Mesmo que para isso seja necessário negar tudo o que disse e fazer aquilo em que não acredita. Para quem não lembra, convém recordar que Rabello de Castro foi uma das muitas vozes discordantes do professor Carlos Lessa quando ele, na presidência do BNDES, autorizou a compra de 2,8% das ações da Vale pertencentes ao clube de investimentos da companhia (InvestVale) ao custo de R$ 1,5 bilhão. A medida evitou que a mineradora fosse desnacionalizada.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.