fbpx
12.03.20

A crise entre o governo federal e o Congresso em tempos de coronavírus

Termômetro

POLÍTICA

A crise entre o governo federal e o Congresso em tempos de coronavírus

O horizonte entre o governo federal e o Congresso permanece nublado e não há nenhuma garantia de entendimento em torno de pauta base para enfrentar os efeitos do coronavírus, que impacta drasticamente a bolsa brasileira.

Há, no entanto, alguns movimentos que podem evoluir positivamente amanhã, ainda que em diferentes graus:

  • A liberação de R$ 5 bilhões em emendas parlamentares para o Ministério da Saúde, o que, tudo indica, vai acontecer.
  • A “pausa” na votação de novas pautas que envolvam aumento de gastos pelo Congresso – incerta, mas com boas chances de se concretizar em função do receio de parlamentares em contribuírem para pânico no mercado;
  • O ensaio de uma “trégua” de parlamentares com o governo federal, centrado em medidas imediatas de estímulo (como a desoneração da folha de companhias aéreas, agenda de concessões e oferta de crédito para pequenas e médias empresas do setor de serviços) e o aceno para a retomada das reformas.

Esta última é a menos provável das três, contudo, está em pauta tanto por ação de lideranças do Congresso (Rodrigo Maia à frente) quanto por mobilização dos ministros da Infraestrutura e da Economia. O maior problema, aqui, é o espectro das manifestações de domingo e a perda de capacidade de interlocução do ministro Paulo Guedes que, na avaliação do Congresso, age lentamente e de maneira confusa.

Se houver algum avanço nesse campo, contudo, pode ocorrer também uma sinalização favorável à reversão de aumento do BPC.  Mesmo que seja, apenas, por aceitação tácita de que a medida seja revista pelo TCU ou pelo STF, para os quais o governo federal recorrerá, com boas chances de sucesso.

PSICOSSOCIAL

Aumenta pressão sobre sistema de saúde pública

A atuação do ministro Mandetta, inclusive politicamente, segue muito bem avaliada e teve impacto o alerta de que o cotidiano da população e o sistema brasileiro de saúde verão um aumento exponencial dos efeitos do coronavírus, a partir de agora. Ao mesmo tempo, crescerá a demanda de estados tanto por recursos quanto por apoio logístico do Ministério.

Já os cancelamentos de eventos, a paralisação de instituições – que se acumulam, seguindo tendência internacional – e o aumento de internações hospitalares mudarão o ambiente no país, trazendo o coronavírus para o dia a dia. Esse panorama será afetado, ainda, se for confirmada a contaminação do presidente Bolsonaro, que foi testado hoje.

ECONOMIA

Indicador deve refletir preocupação com pandemia

Internacionalmente, destaque amanhã para o Índice Michigan de Percepção do Consumidor de fevereiro, nos EUA. O indicador vem de seis meses consecutivos de alta, mas deve cair em torno de 6 pontos (de 101 para 95), já refletindo o impacto nas bolsas e a forte preocupação causada pelo coronavírus.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.