fbpx
07.02.20

A contaminação da reforma administrativa

Termômetro

Declarações do ministro Paulo Guedes, associando servidores a “parasitas” contaminará o debate sobre a reforma administrativa, amanhã – e transbordará para as demais.

A grande questão, já no final de semana, será avaliar o grau de reação de parlamentares e do mundo político em geral, bem como o quanto a mídia insistirá no tema. Fatores serão essenciais para delimitar:

1) O nível do desgaste e o impacto sobre negociações no Congresso;

2) O futuro da campanha de comunicação que o governo pretende implementar sobre a reforma administrativa.

Orçamento federal e medição de forças com o Congresso

O início da semana marcará também a retomada de medição de forças entre o Congresso e o governo federal. Se as pautas das reformas têm sido mais protegidas, em outras, parlamentares pretendem demonstrar força e impor derrotas ao Planalto.

É o que deve se verificar na análise de vetos impostos pelo presidente Jair Bolsonaro ao projeto determinando que a União pague todas as emendas parlamentares no ano corrente – que envolvem um total de R$ R$ 42,6 bilhões do Orçamento de 2020.

As primeiras crises na cultura

Demissão da secretária interina de Cultura, pastora Jane, levará a ilações sobre problemas e enfrentamentos internos pelos quais passará a futura titular da pasta, Regina Duarte. Mídia questionará Duarte e Bolsonaro, mas a tendência é de que ponham “panos quentes” nas dificuldades iniciais.

O Dólar e a China causam preocupação

Apesar de otimismo generalizado do mercado com a recuperação econômica, efeitos do coronavírus sobre a economia chinesa e alta recorde do dólar surgirão na mídia e entre analistas, amanhã, como fatores de preocupação.

O desgaste contínuo do MEC

Erro em lista de espera do Sisu recebida por universidades arrastará a crise no Ministério da Educação e a má vontade generalizada – da mídia e do meio acadêmico – com o ministro Weintraub.

Coronavírus: brasileiros repatriados

Com o início da vinda de brasileiros de Wuhan – chegam no domingo -,  aumentará a atenção para a estrutura montada em Anápolis para recebê-los. E, com um foco definido para cobranças, crescerá a pressão sobre o governo.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.