fbpx
30.04.20

Brasil deve chegar a quase 10 mil mortes pela covid-19, acirrando crise entre poderes

Termômetro

INSTITUCIONAL

Brasil deve chegar a quase 10 mil mortes pela covid-19, acirrando crise entre poderes

O total de mortes pela covid-19 no Brasil chegará a 9,7 mil neste fim de semana, segundo projeção do Imperial College London, em estudo que analisou 48 países. Se a previsão estiver certa, a tensão entre governadores e o presidente Jair Bolsonaro continuará em trajetória ascendente.

O agravamento da crise sanitária, com o sistema de saúde de algumas capitais à beira do colapso, trará mais dramaticidade ao noticiário. A “politização” do vírus, estratégia adotada por Bolsonaro para tentar se descolar dessa crise, deve culminar em nova troca de acusações entre presidente e governadores.

Para os líderes dos estados e prefeitos, um alento deve vir do Congresso Nacional, com o avanço da tramitação do projeto de auxílio financeiro a estados apresentado pelo presidente do Senado, Davi Alcolumbre. O projeto original prevê ajuda total de R$ 120 bilhões, sendo R$ 60 bilhões de repasse direto para o caixa de governadores e prefeitos.

A proposta será votada pela Câmara dos Deputados na próxima semana.  Um dos pontos que devem ser questionados é o critério de divisão dos recursos, desfavorável para os estados que têm mais casos de infectados pelo coronavírus: São Paulo e Rio de Janeiro.

STF sob ataque

Em outro front de crise, Bolsonaro sinaliza que sua cruzada contra o Supremo Tribunal Federal  (STF) está longe do fim. Nesta quinta, o presidente desafiou o ministro Alexandre de Moraes a também suspender a nomeação de  Alexandre Ramagem à Agência Brasileira de Inteligência (Abin).  Acusou, ainda, o ministro do STF de tomar uma decisão “política” ao vetar a indicação de Ramagem para o comando da Polícia Federal.  O presidente do STF, Dias Toffoli, acompanhando dos  ministros Luís Roberto Barroso, Gilmar Mendes e Carmem Lucia saíram em defesa de Moraes, com  críticas a Bolsonaro.

Um novo capítulo desta crise será encenado nesta sexta. Grupos de bolsonaristas convocaram manifestações no Rio de Janeiro, em frente à Vila Militar e à sede do Comando Militar do Leste. O Supremo, mais uma vez, deve ser alvo de protestos por parte dos seguidores do presidente.

PSICOSSOCIAL

Protestos no Dia do Trabalhador

As transformações no mundo do trabalho causadas pelo coronavírus são o gancho das centrais sindicais para as comemorações virtuais do Dia do Trabalhador, amanhã. O mote do evento, que terá transmissão online,  é o impeachment do presidente Jair Bolsonaro. À noite, às 20h, os trabalhadores serão convocados a realizar um panelaço nas capitais brasileiras.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.