01.10.18
ED. 5964

Recuperação judicial é o próximo capítulo na Saraiva

A Saraiva caminha para a recuperação judicial. Segundo o RR apurou junto a um dos maiores credores da empresa, a rede de livrarias estaria ultimando os preparativos para o pedido à Justiça. De acordo a mesma fonte, a companhia não tem conseguido honrar compromissos firmados com mais de 30 fornecedores em abril deste ano.

Na ocasião, a Saraiva renegociou pagamentos em atraso, em alguns casos superiores a 120 dias, empurrando o início da quitação das dívidas para este semestre. Diante da gravidade da informação, o RR entrou em contato com a empresa. Consultada sobre pedido de recuperação judicial, a Saraiva não quis se pronunciar sobre o assunto. Perguntada sobre os novos atrasos, a empresa informou que “não comenta suas negociações comerciais”. Limitou-se a dizer que está “concentrando investimentos em seu projeto de transformação, mantendo o foco na redução de despesas e na manutenção de uma estrutura de custos mais enxuta”.

As seguidas medidas anticíclicas adotadas pela direção da Saraiva não têm sido suficientes para aliviar a situação financeira da companhia. A rede de livrarias acumula seguidos prejuízos e geração de caixa negativa – o Ebitda no segundo trimestre foi de menos R$ 29 milhões. A dívida líquida consolidada da rede varejista é de R$ 59 milhões. Esse número, no entanto, sobe para R$ 250 milhões quando são expurgados os R$ 190 milhões em recebíveis referentes a vendas no cartão de crédito – valores que não entram de uma vez no caixa. Quando essa receita a futuro é depurada, a relação endividamento líquido/Ebitda chega a quase 10 vezes.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.