23.07.18
ED. 5915

Petrobras faz a sua própria “reforma” das leis trabalhistas

A Petrobras está jogando pesado em seu novo plano de cargos e salários, chamado de PCR. Oferece como ganho a mobilidade no cargo, verba adicional e uma distinção informal ao funcionário que aderir. Com a iniciativa, a estatal pretende se proteger contra ações trabalhistas e aumentar a produtividade do trabalho. A Federação Única dos Petroleiros tem feito forte oposição à mudança. A medida permite à Petrobras ter uma maior flexibilidade em relação às leis do trabalho. Nas primeiras três semanas para adesão ao plano, cerca de 20 mil dos mais de 60 mil empregados da estatal aceitaram a proposta. O prazo final para adesão é o mês de setembro. A expectativa na companhia é de que pelo menos 90% da sua força de trabalho concordem com o plano.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

30/07/18 9:11h

pereira silva

disse:

A Petrobras terá sucesso quando nenhuma decisão de negócio tiver direcionamento político. O que não acontece desde o fim do governo militar. Enquanto isso, aumenta a cada dia a possibilidade de sua privatização. Cada governo faz o que quer na Petrobras e o resultado estamos vendo nos números.