30.07.18
ED. 5920

O tempo desafia a Lojas Colombo

A súbita decisão do empresário Adelino Colombo, 87 anos, de reassumir a presidência da Lojas Colombo pegou de surpresa até mesmo os executivos mais próximos ao empresário. O retorno de Colombo – ainda mais emblemático pela saída de sua própria filha, Gissela Franke Colombo Berlaver, da gestão – tem gerado um rebuliço na rede varejista. O que se diz é que Colombo voltou ao jogo para preparar a venda da companhia. A varejista gaúcha é vista, há muito tempo, como uma presa cobiçada e vulnerável. Com faturamento anual na casa de R$ 1,5 bilhão e cerca de 250 lojas, a Colombo tem notórios problemas de sucessão, seja pela idade avançada de seu controlador, seja pela falta de apetite dos herdeiros pelo negócio. À exceção de Gissela, que ficou apenas seis meses na presidência, consta que os outros três filhos de Adelino não têm interesse em tocar a gestão do negócio.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.