25.06.19
ED. 6142

O corporativismo é uma doença autoimune?

O Conselho Federal de Medicina (CFM) vai julgar, na segunda quinzena de julho, o processo administrativo contra a médica Virgínia Soares de Souza, que ganhou a alcunha de “Dra. Morte”. Chama a atenção o tempo que o CFM levou para apreciar o caso. O julgamento ocorrerá apenas seis anos depois de Virginia ter sido acusada de participar da morte de oito pacientes na UTI do Hospital Evangélico de Curitiba entre 2006 e 2013. Parece até que o CFM esperou pelo veredito da Justiça comum para balizar o seu próprio juízo: Virginia, cabe lembrar, já foi absolvida em primeira instância pelo TJ-PR.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.