01.11.19

… uma livraria que vai

Se esse livro com as aberrações do presidente Bolsonaro já estivesse nas prateleiras, vendendo feito água, talvez a Livraria Cultura tivesse melhor sorte. No entanto, os credores da companhia já temem pelo pior. Com uma dívida em torno de R$ 280 milhões, a Cultura não tem conseguido honrar o acordo homologado na 2ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais de São Paulo, em abril. Desde agosto, vem atrasando os pagamentos a diversos credores. A situação tende a se agravar ao longo de novembro. A rede de livrarias da família Hertz já teria comunicado a credores que a quitação de parcelas com vencimento no próximo dia 15 está na dependência da venda da plataforma de e-commerce Estante Virtual, operação que dificilmente será consumada em um espaço de tempo tão curto. Segundo o RR apurou, algumas editoras já cogitam entrar com protestos em cartório, pedindo a falência da Cultura.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.