fbpx
03.03.20

Sinal dos tempos

O Instituto Liberta, do empresário Elie Horn, dono da Cyrela, tem sido cobrado por entidades do terceiro setor a mudar a campanha publicitária que lançou contra a exploração sexual infantil. A alegação é que, ao utilizar o termo “#menornão”, os anúncios publicitários ignoraram o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Em vez de “menor”, o ECA estabelece o uso dos termos criança e adolescente.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.