14.08.19

Nordeste vira “zona militarizada”

Jair Bolsonaro pretende nomear um militar para a Sudene. O nome mais cotado é o do General de Divisão da reserva Jamil Megid Junior, que integrou a equipe de transição e hoje ocupa a Secretaria de Transportes Terrestres do Ministério da Infraestrutura. Caso a escolha se confirme, Bolsonaro terá dois militares estrategicamente posicionados à frente dos grandes projetos de infraestrutura no Nordeste. Megid Junior faria dobradinha com o General de Brigada Pedro Antonio Fioravante, nomeado há cerca de um mês para a presidência da Companhia de Desenvolvimento das Bacias do São Francisco e Parnaíba (Codevasf). Ambos, por sinal, são contemporâneos nas Forças Armadas. Sob um certo ângulo caberia aos militares construir pontes entre o governo Bolsonaro e o Nordeste, onde o Capitão amarga os mais baixos índices de popularidade. A Sudene tem sob sua gestão o Plano Regional de Desenvolvimento do Nordeste, que engloba, para este ano, um orçamento da ordem de R$ 24 bilhões. Por sua vez, a Codevasf é a responsável pelo grande projeto do governo federal na região, a transposição do São Francisco, ao custo de R$ 20 bilhões.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.