fbpx
15.06.20

“Indulto” no Ministério Público

Na condição de presidente do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), Augusto Aras está inclinado a adiar julgamentos de temas mais delicados no colegiado, notadamente relacionados à conduta de procuradores. A medida seria motivada pela atual vacância de três das 14 cadeiras do CNMP. Os nomes dos futuros ocupantes – Moacyr Rey, Ediene Lousado e Paulo Marco de Farias – já foram aprovados pela Comissão de Constituição e Justiça do Senado. No entanto, falta a votação no plenário da Casa, adiada sine die por conta da pandemia.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.