fbpx
16.11.15

Como pode um conselho monetário sem Abilio?

  Como se já não bastassem todos os seus problemas, Joaquim Levy ainda tem de aturar o périplo de Abilio Diniz junto a ministros palacianos e à própria presidente Dilma Rousseff. O empresário tem vendido entusiasticamente a ideia de ampliação do Conselho Monetário Nacional (CMN). O modelo seria o mesmo do passado quando o CMN abrigava conselheiros independentes; a maior parte deles grandes empresários, como Olavo Setúbal, Luiz Eulálio Vidigal, Arthur Sendas e o próprio Abilio.  Com sua conhecida modéstia, o ex-Pão de Açúcar ilustra com seu próprio nome como deveria ser a formação do novo conselhão monetário. Abilio adora mencionar que o ex-ministro Mario Henrique Simonsen sempre o consultava antes das reuniões do CMN. Sabe como é… Só Abilio é quem interessa. O CMN hoje é constituído pelos ministros da Fazenda, Joaquim Levy, do Planejamento, Nelson Barbosa, e pelo presidente do Banco Central, Alexandre Tombini.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.