Azul ganha sotaque português em reestruturação societária

  • 24/03/2016
    • Share

 David Neeleman vai tirar o passaporte da União Europeia para a Azul. O primeiro movimento é empurrar a companhia aérea para dentro da compra da TAP , conforme antecipou o RR de 29/07/15. A operação já está sendo finalizada. O próximo passo para “europeizar” a Azul seria a criação de uma holding portuguesa, que juntaria no mesmo bagageiro a TAP e teria ações negociadas na Bolsa de Lisboa. O controle econômico da nova empresa seria do consórcio Atlantic Gateway, que comprou a TAP e detém 80% do capital econômico da companhia aérea. Participam do consórcio o grupo chinês HNA, o empresário lusitano Humberto Pedrosa, a Azul e David Neeleman. Os direitos políticos (voto) da holding, entretanto, serão compartilhados com o governo português. A “europeização” está em sintonia com o Código Brasileiro de Aeronáutica, que estabelece em 49% o limite de participação estrangeira no capital de companhias aéreas no país. Procurada, a Azul nega a mudança societária.  Segundo o RR apurou, a holding de Neeleman e do governo português teria justamente esse percentual no capital da Azul (49%), ficando na espreita para a liberação de participação estrangeira em 100% do capital acionário. Para isso, está prevista a opção de compra pela holding de novos lotes de ações na Azul. Nos planos de Neeleman, o projeto caminhará para uma fusão das companhias com uma futura unificação das marcas. A medida trará imediatos ganhos financeiros e operacionais, com o compartilhamento da gestão das duas empresas e a redução do “risco fronteira” da Azul. Parte da frota da companhia aérea brasileira já foi transferida para a TAP. A dupla luso-brasileira já fechou um acordo de code share. Trata-se apenas de uma aperitivo frente ao que está por vir.

#Atlantic Gateway #Azul #HNA #TAP

Leia Também

Todos os direitos reservados 1966-2024.

Rolar para cima