fbpx
11.09.13

Chieko Aoki sofre nova ameaça de despejo

Por que Chieko Aoki, essa doce figura de olhos amendoados e exemplo de liderança empresarial, tem sido tão mal-tratada por parceiros históricos? Menos de um mês após a perda de um hotel em Porto Alegre – ver RR nº 4.663 -, haveria uma nova intentona sendo urdida sob o teto da Blue Tree. A conspiração, inclusive, tem dia, hora e local marcados: 17 de setembro, a s 19h30. Nessa data, os proprietários do imóvel onde está instalado o Blue Tree Park Búzios, na Região dos Lagos (RJ), vão realizar uma assembleia geral em um hotel da Barra da Tijuca. A pauta é um golpe de aikidô contra Chieko Aoki. Um grupo de investidores estaria articulando a rescisão do contrato com a Blue Tree. A insurreição viria acompanhada de uma série de denúncias contra o grupo. O hotel teria acumulado dívidas vencidas, incluindo a execução da União de débitos com o INSS, passivos trabalhistas e títulos protestados. Haveria ainda pendências no próprio pagamento do aluguel do imóvel. Além disso, os proprietários reclamam do baixo desempenho financeiro do hotel, que tem impacto direto sobre o valor da locação.  Procurada pelo RR, a Blue Tree garantiu que não existe qualquer ação “no sentido de rompimento contratual” envolvendo o hotel de Búzios. Informou ainda que “os processos judiciais de cobranças de dívidas mencionados não são referentes ao período de sua administração, iniciado em agosto de 2012”. Está feito o registro. No entanto, de acordo fontes ligadas aos proprietários do imóvel, o grupo hoteleiro já teria sido, inclusive, notificado por conta dos débitos. Os investidores estariam ameaçando não apenas romper o contrato como entrar na Justiça contra Chieko Aoki. O RR apurou que a própria empresária estaria disposta a comparecer a  assembleia.  Se confirmada, a perda do Blue Tree Búzios será mais um duro golpe na autoestima empresarial de Chieko Aoki. Nos últimos anos, a empresária tem sofrido revés atrás de revés. Em 2006, o grupo perdeu a histórica parceria com a Funcef, o que obrigou a sair, de uma vez só, de três empreendimentos – em Brasília, Angra dos Reis (RJ) e Cabo de Santo Agostinho (PE). Em 2011, a Blue Tree teve de deixar o hotel que operava na Alameda Santos, em São Paulo. O fim do Blue Tree Porto Alegre, há um mês, também teria ocorrido por conta da insatisfação dos proprietários do imóvel. Dentro da estratégia de negócios do grupo, a perda do Blue Tree de Búzios seria um grande baque. O hotel é um dos mais sofisticados da rede. Isso em um momento em que, a contragosto, a Blue Tree vem trocando rentabilidade por receita. O aumento do faturamento de 27% no ano passado só teria sido obtido em razão de uma dolorosa cirurgia nas margens. Mas o poder de sedução de Chieko resolve inimagináveis problemas. Quem resiste a queles olhos amendoados?

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.