20.07.15

O ministro da Fazenda

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, chegou a balançar com a proposta de mudança da meta após reunião com diversos economistas, entre os quais Mario Mesquita e Samuel Pessoa. Durou pouco a labirintite. Levy autopsicanalizou seu complexo de ortodoxia aguda e partiu para fortalecer o ajuste fiscal nanico decorrente da redução de despesas de aumento de impostos com a gestão de ativos e extração de novas riquezas. Se quiser, faz um superávit primário de 2% do PIB neste ano.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.