03.05.17
ED. 5610

A indesejável herança da Magnesita

A austríaca RHI, nova controladora da Magnesita, tem feito o que os financistas da GP Investimentos não conseguiram: reduzir o endividamento da fabricante de refratários. Sob o condão dos europeus, a relação dívida líquida/ebitda da companhia caiu de 4,1 para três nos últimos 12 meses. A meta dos austríacos é diminui-la para 2,5 vezes até o terceiro trimestre, livrando-se da herança deixada pela GP.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.