Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

Planos
02.09.19
ED. 6191

“Paraíbas” vão à Europa em busca de recursos

O acaso não foi parceiro do recém-criado Consórcio Nordeste, que reúne os nove estados da região. O pool enviará uma missão à Europa em novembro para uma série de encontros com organismos internacionais e fundos voltados a projetos sustentáveis. Se pudessem, no entanto, os governadores adiavam o road show.

Os “Paraíbas”(Apud Jair Bolsonaro) desembarcarão no Velho Continente sob forte tensão. Neste momento, qualquer discussão internacional sob o guarda-chuva Brasil já nasce contaminada pelo imbróglio global em torno da Amazônia. Sobretudo tratando-se do assunto e do roteiro da viagem dos governadores nordestinos. O objetivo é captar investimentos para o setor agrícola vinculados ao manejo sustentável de recursos naturais no Nordeste. O RR apurou que há reuniões engatilhadas na Alemanha e Noruega, dois dos países que mais têm levantando sua voz contra o desmatamento da Amazônia.

No caso norueguês, há ainda um agravante. O governo Bolsonaro acaba de recusar recursos do país para financiar projetos ambientais na Região Amazônica. Os rancores bilaterais estão à flor da pele. Mesmo com o risco de o “assunto maior” eclipsar o tema das conversas, os governadores do Nordeste vão à luta. Levarão na bagagem estudos recentes sobre novas fronteiras agrícolas na região, como o chamado “Sealba”, o triângulo na divisa entre Sergipe, Alagoas e Bahia. Dados da Embrapa para o cultivo de soja, por exemplo, mostram que o potencial de produtividade na  região chega a 80 sacas por hectare, acima da média nacional (56 sacas/ha).

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

02.09.19
ED. 6191

Acionistas da Qualicorp abrem fogo contra Seripieri

Quando José Seripieri Filho abriu negociações com a Rede D´Or para a venda de uma parcela da sua participação na Qualicorp? As tratativas com o grupo hospitalar se deram simultaneamente às ordens de compra de ações da companhia feitas pelo empresário? Estes são alguns dos questionamentos que minoritários da Qualicorp – notadamente XP Gestão de Recursos e a norte-americana Wellington Management – pretendem levar à CVM. Para as duas gestoras, Seripieri teria adquirido ações da companhia em Bolsa durante o primeiro semestre deste ano já carregando no bolso do colete a carta da posterior operação com a Rede D´Or e da consequente elevação das cotações. Ou seja: o empresário teria sido insider de si próprio, auferindo um razoável lucro ao movimentar os papéis nas duas pontas.

Entre o fim de 2018 e meados deste ano, o fundador da Qualicorp aumentou sua participação na companhia de 15% para 20% – conforme informou o RR na edição de 26 de junho. Nesse período, pagou em média R$ 15 pela ação. Pouco depois, exatamente no dia 8 de agosto, selou a transferência de 10% do capital da empresa de medicina de grupo. Na referida data, o papel estava cotado a R$ 22. Neste caso, Seripieri teve um ganho de aproximadamente 46% sobre os 5% do capital adquiridos no primeiro semestre. Consultada, a CVM informa que “Até o presente momento, não identificou o recebimento de questionamento a respeito do assunto”.

Qualicorp, XP e Wellington Management não quiseram se pronunciar sobre o assunto. Ressalte-se que José Seripieri Filho já responde a um Processo Administrativo Sancionador na CVM (PAS n° 19957.010505/2018-49). A autarquia investiga o acordo firmado entre a Qualicorp e Seriperi em outubro do ano passado, pelo qual a companhia pagou R$ 150 milhões ao empresário mediante seu compromisso de não abrir novos negócios no setor até 2026. Em abril, o superintendente de relações com empresas da autarquia, Fernando Soares Vieira, apresentou o Termo de Acusação, no qual afirma que o contrato foi lesivo à companhia.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

02.09.19
ED. 6191

Um novo patrimônio na paisagem

O Brasil que queima museus e devasta florestas está perto de abrigar um novo Patrimônio Mundial da Humanidade. Trata-se do antigo sítio do paisagista Burle Marx em Guaratiba, na Zona Oeste do Rio. Uma comitiva de especialistas do Conselho Internacional de Monumentos e Sítios (Icomos) desembarcará no Brasil no dia 8 de setembro para a avaliação do local. A decisão final da Unesco sairá na próxima reunião do Conselho, em Fuzhou, na China, em 2020. O sítio reúne um acervo de mais de 3,5 mil plantas tropicais, várias delas extintas em seus locais de origem. Recentemente, recebeu um apoio do BNDES da época de R$ 5,4 milhões.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

02.09.19
ED. 6191

Barricada anti-Maia

Proposta que vem sendo maturada no Palácio do Planalto: designar uma espécie de comissão parlamentar que daria suporte a general Luiz Eduardo Ramos, secretário de Governo, na articulação política para a aprovação da reforma trabalhista. O general Ramos tem ótimo trânsito no Congresso; a rigor, não precisa de escolta. O objetivo por trás da medida seria tentar reduzir o excessivo protagonismo de Rodrigo Maia na tramitação da proposta, a exemplo do que se viu na PEC da Previdência.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

02.09.19
ED. 6191

Pequeno Dirceu

Em sua peregrinação por Assunção, com o intuito de colar o escândalo do acordo de Itaipu no governo Bolsonaro, Zeca Dirceu contou com o apoio de integrantes da esquerda do Parlasul. Representantes do Paraguai e também da Bolívia e do Uruguai no Parlamento do Mercosul ajudaram o herdeiro de José Dirceu a estabelecer pontes com a CPI instalada no Congresso paraguaio. Não demora muito, Jair Bolsonaro capitaliza o assunto e gruda no Parlasul a pecha de “novo Foro de São Paulo”.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

02.09.19
ED. 6191

Neymar rubro-negro?

Já imaginaram Neymar de volta ao futebol brasileiro? Rodolfo Landim,presidente do Flamengo, imagina todos os dias. Emissários rubro-negros têm mantido contato com o staff do jogador. Não são poucas as condicionantes. Tudo dependeria do fracasso da negociação entre Neymar e o Barcelona e da concordância do PSG em emprestá-lo sem compensação financeira. Além disso, Neymar teria de reduzir seu salário, de três milhões de euros por mês.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

02.09.19
ED. 6191

Bandeira branca

O Santander negocia um acordo para encerrar o contencioso com os Pentagna Guimarães. O clã, dono do Banco BS2, decidiu exercer a opção de venda da sua participação de 40% na financeira Olé para os espanhóis. Mas levou o caso à Justiça por discordâncias em relação ao valor. A diferença entre o que um diz que tem a receber e o outro a pagar passa dos R$ 800 milhões.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

02.09.19
ED. 6191

Provocações

No que depender de Jair Bolsonaro, o Palácio do Planalto vai fazer uma forcinha para que a agenda de compromissos do presidente fora de Brasília coincida com a presença da caravana Lula Livre com Haddad na mesma cidade. Seria um prato cheio para o Capitão e sua torcida organizada.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

02.09.19
ED. 6191

A peça que falta

O governo de Minas Gerais vai assinar até o dia 20 de setembro a prorrogação do contrato de concessão da Gasmig por mais 30 anos. Será o gatilho para o posterior IPO da empresa.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

02.09.19
ED. 6191

Ponto final

Os seguintes citados não retornaram ou não comentaram o assunto: Santander e Família Pentagna Guimarães.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.