Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

Planos
15.07.19
ED. 6156

GP prepara o bote sobre a Light

A GP está em tratativas avançadas para a compra da participação da Cemig na Light. Segundo uma fonte que participa das negociações, a operação seria dividida em dois atos – o primeiro, consumado na semana passada. A GP teria comprado um lote significativo de ações no follow-on da Light, oferta subsequente de ações que movimentou R$ 2 bilhões. O passo seguinte seria a incorporação da participação da Cemig, que caiu para aproximadamente 23% com o aumento de capital. Ao todo, a estatal mineira arrecadaria mais de R$ 4 bilhões. De acordo com a mesma fonte, a GP ficaria com mais de 35% da Light, o suficiente para transformá-la no maior acionista individual. A operação, ressalte-se, só poderá ser sacramentada em meados de outubro, quando se encerra o período de quarentena no qual os sócios da empresa estão proibidos de vender suas ações. Procuradas, GP e Cemig não se pronunciaram. Segundo o RR apurou, um grande fundo internacional que tambémestava na disputa pela Light deixou a mesa de negociações nesta semana, após a participação da GP no follow-on. O acordo com a gestora conta com a simpatia de conselheiros da Cemig e, sobretudo, da presidente da Light, Ana Marta Horta Veloso.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

15.07.19
ED. 6156

Propaganda eleitoral

Jair Bolsonaro deverá fazer uma nova viagem oficial à Argentina em outubro. A pauta inclui a assinatura do acordo para a construção da primeira das duas hidrelétricas binacionais previstas no Tratado de Aproveitamento Hídrico firmado entre os dois países no já longínquo ano de 1980. Coincidência ou não, a visita de Bolsonaro se daria pouco antes das eleições na Argentina. Em junho, durante sua passagem por Buenos Aires, o Capitão vestiu o figurino de cabo eleitoral de Mauricio Macri contra a chapa Alberto Fernández/Cristina Kirchner.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

15.07.19
ED. 6156

Pedras no caminho

A Polícia Federal vai intensificar o combate à extração e contrabando de pedras preciosas na Reserva Indígena Roosevelt, em Rondônia. A PF identificou vários garimpos ilegais, notadamente de diamantes, na área ocupada pelos índios cinta-larga.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

15.07.19
ED. 6156

Expocannabis

A Souza Cruz vai enviar observadores para participar da Expocannabis, que será realizada entre 6 e 8 de dezembro, em Montevidéu. Há interesse especial no workshop de cultivo.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

15.07.19
ED. 6156

Stanislavski

Uma fonte do RR que visitou Sergio Cabral ficou impressionada com seu método: ele costuma ensaiar, sozinho, cada depoimento ao juiz Marcelo Bretas por até 10 horas.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

15.07.19
ED. 6156

Embrapa entre o general e o engenheiro

Surge um contraponto à possível indicação do general Oswaldo Jesus Ferreira para a presidência da Embrapa (ver = RR edição de 4 de julho). O agronegócio trabalha pela nomeação do engenheiro Pedro Camargo, ex-presidente da Sociedade Rural Brasileira e ex-secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura. Camargo conta com o apoio da ministra Tereza Cristina. Enquanto dois dos principais grupos de sustentação do governo – militares e agronegócio – “disputam” o comando da Embrapa, um ponto já parece definido. Jair Bolsonaro deverá indicar diretamente o novo presidente da estatal, sem repetir o rito adotado pela gestão Temer no ano passado, quando houve uma pré-seleção com 16 candidatos.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

15.07.19
ED. 6156

Caixa aposta suas fichas na venda de loterias online

Após o quarto adiamento do leilão da Lotex, a popular “raspadinha”, a diretoria da Caixa Econômica coloca suas fichas na privatização das demais loterias do banco. Para isso, prepara medidas com o objetivo de alavancar a plataforma de apostas online. O projeto mais importante é o desenvolvimento de um aplicativo para celular – tanto para o sistema Android (Google) ou iOS (Apple). Hoje, as apostas online estão restritas ao site da Caixa. O banco estuda ainda reduzir o piso fixado para as apostas online, de R$ 30.

Esse valor é visto na Caixa como um muro para os apostadores de baixa renda e o público jovem. A cifra é seis vezes superior à média do montante gasto pelos brasileiros nas casas lotéricas. Consultada sobre a privatização, a Caixa informou que “estuda oportunidades quanto à monetização de ativos, dentre eles loterias.” Para bom entendedor… O modelo de venda das demais loterias ainda não está definido. Além dos produtos tradicionais, como a Mega-Sena, o pacote poderá incluir também um novo braço de apostas esportivas, informalmente chamado no banco de “SportBeting”.

A criação deste último ainda depende da aprovação do projeto de lei que libera esse tipo de jogo no Brasil – atualmente o brasileiro pode apostar nessa modalidade apenas em sites registrados no exterior. Certo mesmo é que a venda desses ativos depende de uma chacoalhada na atual plataforma de apostas online da Caixa. Pouco mais de sete meses após o seu lançamento, a operação está longe de ser um atrativo para os potenciais investidores do setor.

Pelo contrário. Segundo o RR apurou, o volume gerado pelo site estacionou na marca dos 3% da receita total arrecadada pela Caixa com as apostas. Ou seja: loteria no Brasil ainda é um negócio para ser feito no balcão físico – na Europa e nos Estados Unidos, a média de apostas eletrônicas é superior a 60%. No banco, a leitura é que a diretoria anterior sucumbiu à pressão das casas lotéricas ao lançar uma operação online meia-sola. Durante o governo Temer, a Federação Brasileira das Empresas Lotéricas, que representa mais de 13 mil correspondentes da Caixa, notabilizou-se por um intenso lobby para restringir os investimentos do banco no ambiente digital.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

15.07.19
ED. 6156

Ameaça comunista

O entorno de Jair Bolsonaro começa a monitorar mais de perto os passos de Flavio Dino. O governador do Maranhão foi um dos artífices da exclusão dos estados da reforma da Previdência. Na ótica “bolsonarista”, o “comunista” Dino desponta, desde já, como um nome potencial da esquerda para 2022. Se der a lógica, não demora muito e começa a ser bombardeado por Olavo de Carvalho, Carlos e Eduardo nas redes sociais.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

15.07.19
ED. 6156

O nome de Tarcisio Freitas para a ANTT

A chegada de Davi Barreto à diretoria da ANTT é vista na própria agência como um rito de passagem. Barreto estaria sendo preparado pelo ministro Tarcisio Freitas, para assumir o comando do órgão regulador no lugar de Mario Rodrigues Junior. Herança da era Temer, Rodrigues foi alvo de uma operação da PF, em abril, suspeito de participar de um esquema de superfaturamento de tarifas de pedágio em três estados.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

15.07.19
ED. 6156

Maçã em pedaços

A Apple suspendeu o projeto de instalar sua primeira loja de rua no Brasil, previsto para São Paulo. A desanimadora performance da economia falou mais alto.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

Um dia após votar a favor da reforma da Previdência, Tabata Amaral recebeu de dois deputados cariocas emissários de João Amoedo a mensagem de que as portas do Partido Novo estão escancaradas para ela.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

15.07.19
ED. 6156

Ponto final

Procurados pelo RR, os seguintes citados não retornaram ou não comentaram o assunto: Apple e Souza Cruz.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.