Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

Planos
13.05.19
ED. 6112

Um tratamento de choque para o plano de saúde dos servidores

Indicado pelo general Hamilton Mourão, o novo diretor executivo da GEAP, general Ricardo Marques Figueiredo, prepara uma profunda reestruturação no plano de saúde do funcionalismo público federal. Uma das primeiras medidas deverá ser a substituição de boa parte da diretoria e dos cargos de gerência. O desafio do general Figueiredo é sanear a saúde financeira da GEAP.

No ano passado, a empresa precisou realizar uma provisão técnica de R$ 170 milhões para cobrir o rombo de caixa – o buraco chegou a R$ 300 milhões. A situação ainda é crítica: a nova gestão avalia, inclusive, a necessidade de uma contribuição adicional dos beneficiários. Consultada sobre as medidas, a GEAP informa que o General Ricardo Figueiredo “está realizando, gradativamente, os ajustes que se fazem necessários”. A GEAP, que reúne mais de 450 mil servidores federais, já passou por uma intervenção da ANS.

Hoje se encontra sob regime de direção fiscal da agência reguladora – na prática uma nova intervenção com nomenclatura mais amena. O general Ricardo Figueiredo traz a experiência de ter sido o subsecretário de Economia e Finanças do Exército, além da formação em administração e logística na AMAN. Uma de suas prioridades na GEAP é passar um pente-fino nos contratos com prestadores de serviço, já identificado como um terreno fértil para desperdícios e travessuras piores. Somente na área jurídica há 28 escritórios de advocacia que prestam consultoria à GEAP. Alguns deles chegam a receber quase R$ 40 milhões por ano. Perguntado sobre os cortes, o plano de saúde confirma que “uma das primeiras medidas da nova gestão é a redução de custos e despesas em todos os setores, tanto serviços internos quanto aqueles realizados por prestadores.”

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

13.05.19
ED. 6112

Bancos disputam a pole position no Autódromo do Rio

Três grupos financeiros disputam a condição de financial adviser do projeto de construção do novo autódromo no Rio de Janeiro: Credit Suisse, Santander e Rothschild. A negociação em curso com a Liberty Media previa que o circuito estivesse pronto no início do ano que vem, para uso a partir de 2021. Mas, diante da demora do prefeito do Rio, Marcelo Crivella, em topar a empreitada – as conversas com os governos estadual e federal foram mais fluídas), os organizadores brasileiros reviram as projeções. Estimam que o autódromo ficará pronto no segundo semestre de 2020. O investimento é de R$ 850 milhões. A construtora que tocará a obra é a espanhola Acciona.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

13.05.19
ED. 6112

Vaga para a Hyundai

Depois da GM e da Scania, agora é a Hyundai que negocia sua adesão ao IncentivAuto, o programa de incentivos fiscais lançado por João Doria para frear a carnificina de empregos no estado. A prenda para garantir os benefícios tributários é um investimento de pelo menos R$ 1 bilhão no estado. Os sul-coreanos têm uma fábrica própria em Piracicaba, que está fora da parceria com o Grupo Caoa.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

13.05.19
ED. 6112

Educação a distância

O governo de Roraima vai solicitar à União uma verba extra de R$ 3 milhões para a contratação emergencial de professores para a rede pública do estado. Quase 900 crianças e adolescentes venezuelanos que chegaram ao país depois do início do ano letivo aguardam por vaga nas escolas locais. E novas levas estão chegando.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

13.05.19
ED. 6112

Ministério paralelo

A decisão do ministro Ricardo Salles de suspender a publicação, na internet, de uma série de indicadores da área ambiental, acabou sendo um tiro n´água. Como resposta, entidades do terceiro setor têm se dedicado ao trabalho de mineração e publicação de dados, como as áreas prioritárias de conservação ambiental e o monitoramento de espécies em extinção no Brasil. Parte das informações que o Ministério do Meio Ambiente decidiu guardar a “sete chaves” está disponível, por exemplo, no site http://cncflora.jbrj.gov.br/portal.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

13.05.19
ED. 6112

O silêncio da ética

A Comissão de Ética Pública da Presidência mantém um estranho silêncio em relação ao ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio. Mais de três meses após as primeiras acusações – feitas pelo ex-ministro Gustavo Bebianno -, o órgão não abriu qualquer procedimento para averiguar as acusações de que Álvaro Antônio liderou um suposto esquema de candidatos laranja do PSL em Minas Gerais. Durante o governo Temer, tido a Comissão abriu investigação contra dez ministros.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

Luciana Gimenez quer agora reunir Eduardo, Carlos e Flavio Bolsonaro para um bate-papo família em seu programa. A entrevista chapa-branca com Jair Bolsonaro, na última semana, rendeu à apresentadora sua maior audiência em mais de um ano.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

13.05.19
ED. 6112

Conto do falastrão

Era uma vez um paladino cantante das mazelas da Petrobras. Representante das maiores distribuidoras de combustíveis do país, o diretor de planejamento da Plural, Helvio Rebeschini, tomou como sua missão a crítica permanente à estatal. Bate no refino, endividamento, excesso de pessoal, intervencionismo, insegurança jurídica, bate até na alma do ex-presidente Ernesto Geisel. Virou folclore esse “Roniquito Chevalier” do setor de distribuição de soprando marimbondos contra a Petrobras. Mas tudo tem seu limite. O diretor da Plural desatinou de defender um corte de 30% dos funcionários da estatal, excedente de pessoal que não faria a menor diferença, segundo suas contas. A história passou a ser contada nos corredores da empresa, passando de algo desimportante a um fato gerador de revolta. Rebeschini ganhou seus minutos de fama. Se ousar uma incursão pela Av. Chile encontrará um monte de petroleiros dispostos a sangrar o combustível da sua garganta matraqueira.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

13.05.19
ED. 6112

Portas fechadas

Talvez sejam os gargalos da burocracia; talvez uma decisão da equipe econômica. O fato é que, desde janeiro, o Ministério da Economia aprovou só um pedido de ingresso de equipamentos no Brasil pelo sistema ExTarifário, que permite a redução temporária de alíquotas para a importação de bens de informática ou telecomunicação sem similar nacional.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

13.05.19
ED. 6112

Zona do rebaixamento

Cena raríssima: Romário no banco de reservas. A fraca performance do Baixinho na disputa pelo governo do Rio, em 2018, ainda está fresca na memória dos dirigentes do Podemos. O nome do senador está praticamente descartado para uma eventual eleição antecipada à Prefeitura do Rio caso o impeachment de Marcelo Crivella seja aprovado.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

13.05.19
ED. 6112

Último voo

O DEM está de portas abertas para o prefeito de Manaus, Arthur Virgilio. A aposta dos Democratas é que Virgílio baterá asas para longe do PSDB após a convenção nacional do partido, no fim do mês. O prefeito não suportará virar refém de João Dória.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

13.05.19
ED. 6112

Ponto final

Os seguintes citados não retornaram ou não comentaram o assunto: Hyundai, Credit Suisse, Santander e Rothschild.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.