Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

Planos
15.04.19
ED. 6094

Vizinhança perigosa acelera investimentos no Sisfron

O governo vai concentrar esforços para acelerar a implantação do Sisfron – Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras –, um dos maiores projetos da área militar em curso no país. De acordo com a fonte do RR, a ideia seria liberar ao longo dos dois anos cerca de R$ 2 bilhões para o Ministério da Defesa – o orçamento total do projeto gira em torno de R$ 12 bilhões. O desafio é recuperar o tempo perdido com os seguidos cortes de verba e atrasos que se acumulam desde o governo de Dilma Rousseff. Em 2018, na gestão Temer, o valor repassado ao Ministério da Defesa foi inferior a R$ 150 milhões, uma redução de 40% em relação à já achatada verba do ano anterior.

Consultado, o Exército informa que o citado valor adicional “não consta na previsão orçamentária”. Na avaliação das Forças Armadas, há dois pontos nevrálgicos nas bordas territoriais do país que tornam o Sisfron ainda mais prioritário e urgente. No Norte, toda a convulsão causada pela crise venezuelana, com o intenso fluxo de refugiados e toda a tensão em Roraima. Mais abaixo, o problema é a fronteira com o Paraguai, passarela para a maior parte da droga que entra no país.

Estima-se que a entrada de entorpecentes pelo país vizinho tenha sextuplicado ao longo da última década, na esteira da tomada do país vizinho pelo Primeiro Comando da Capital (PCC). A facção já é responsável por mais de 80% do tráfico de cocaína entre os dois países. O Sisfron é uma rede integrada de monitoramento em tempo real das fronteiras, a partir de informações enviadas por radares, satélites, aeronaves e mesmo postos de vigilância em terra. Toda a operacionalização ficará concentrada na 4ª Brigada de Cavalaria Mecanizada, chamada de Brigada Guaicurus, na cidade de Dourados (MS). As restrições orçamentárias mandaram o cronograma original para o espaço.

A previsão para a implementação completa do sistema saltou de 2021 para 2035. O Exército confirma o novo prazo, “quando estará concluída a 9ª fase de implantação do Programa”. Ainda assim, a Força esclarece que essa meta “dependerá do fluxo orçamentário.” Segundo a fonte do RR, o aporte adicional ainda não contemplado no orçamento permitiria ao Exército mais do que triplicar a área coberta até o final de 2021. Dos 17 mil quilômetros de fronteiras terrestres do Brasil, a faixa total atendida no projeto piloto não chega sequer a 800 km. Segundo o Exército, as “próximas fases do programa preveem ampliar a cobertura em aproximadamente 1.950 km.”

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

15.04.19
ED. 6094

República virtual 1

A Força Sindical prepara um “tuitaço da Previdência”. O Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar fez uma tour de force para levantar os perfis de deputados e senadores nas redes. A ideia é utilizar as mídias digitais para viralizar críticas e propostas para a PEC da Previdência, constrangendo publicamente os parlamentares.

República virtual 2

Na esteira da triunfal chegada de Sérgio Moro no Twitter (620 mil seguidores em uma semana), há uma campanha dos “bolsonaristas” nas redes sociais para que Paulo Guedes também crie o seu perfil.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

15.04.19
ED. 6094

Olavo State

O ex-ministro Ricardo Vélez confidenciou a uma fonte do RR que vai sumir do mapa, dedicando-se a um período de estudos no exterior. O gaiato aconselhou-o a evitar o estado da Virginia…

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

15.04.19
ED. 6094

Transfusão financeira

Sob risco de apagão financeiro, a Companhia de Energia do Amapá deverá receber ainda neste semestre uma descarga elétrica de R$ 700 milhões da Caixa. Paulo Guedes já deu o sinal verde.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

15.04.19
ED. 6094

Grupo Caoa enxerga o Ministério Público no retrovisor

Como se não bastassem as acusações de Antonio Palocci de que o Grupo Caoa repassou propina ao filho de Lula, o Ministério Público de Goiás também está no encalço da montadora. Segundo informações filtradas do próprio MP-GO, os procuradores reuniram evidências de que a montadora, representante da marca Hyundai no Brasil, teria transferido recursos ilegais ao ex-governador Marconi Perillo em contrapartida à concessão de incentivos fiscais. De acordo com a fonte do RR, os supostos pagamentos teriam se intensificado em 2017, quando a Caoa anunciou um novo pacote de investimentos no estado para a produção de veículos da marca Chery.

O RR enviou uma sériemde perguntas à Caoa, mas a empresa não quis se pronunciar. O MP-GO informou que “Como desdobramento da ação já protocolada questionando a concessão de benefícios fiscais por lei de 2014, há algumas investigações em andamento, que tramitam em sigilo”. Disse ainda “que não há como confirmar o nome de nenhum investigado bem como o objeto da investigação”. O caso Caoa é um combustível a mais nas investigações contra Marconi Perillo por suposto favorecimento a empresas mediante renúncia fiscal.

Em fevereiro, o MP-GO pediu à Justiça o bloqueio de R$ 3,9 bilhões em bens de Perillo para cobrir supostos prejuízos causados aos cofres públicos ao isentar mais de mil companhias de pagar juros  dívidas com o próprio estado. Por meio de sua assessoria, o exgovernador Marconi Perillo informou que o “Programa de Recuperação Fiscal – Regulariza 2014 foi rigorosamente amparado pelas decisões do Confaz”. Afirmou ainda que todos os seus bens “estão devidamente declarados em seu Imposto de Renda, com valor total de R$ 6 milhões”. Em relação à Caoa, Perillo diz que a relação do estado de Goiás com a companhia “sempre se deu no nível institucional”.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

15.04.19
ED. 6094

MPs a caminho da extinção

Um pacote de 20 Medidas Provisórias assinadas por Michel Temer no apagar das luzes do seu governo está prestes a caducar por falta de aprovação no Congresso. A mais relevante delas é a que prevê a venda de 100% das companhias aéreas para o capital estrangeiro. Chamada de “MP da Avianca”, a decisão expirará na primeira semana de maio caso não seja votada até lá.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

15.04.19
ED. 6094

Aena põe foco total em Recife

A espanhola Aena, que desembolsou R$ 1,9 bilhão por seis concessões aeroportuárias do Nordeste no leilão do último dia 18 de março, pretende acelerar os investimentos no terminal de Recife. A meta é concluir a expansão do aeroporto antes dos cinco anos previstos no edital. O aeroporto de Recife é um importante hub para voos entre Portugal e o Nordeste.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

15.04.19
ED. 6094

Os vazamentos da Casan

Antes de pensar na privatização da Casan, a prioridade do governador de Santa Catarina, Carlos Moisés, é conter o risco de uma diáspora entre as cidades atendidas pela empresa de saneamento. Uma das principais insurretas é a Prefeitura de Criciúma, que quer assumir a operação.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

15.04.19
ED. 6094

Os Netflix da bola

A plataforma de streaming My Cujoo prepara seu salto no Brasil. Depois de um período de test drive, com a transmissão de campeonatos estaduais da segunda divisão, a empresa de origem suíça deverá entrar na disputa pelos direitos da Copa do Nordeste. Terá como grande adversário a britânica DAZN.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

15.04.19
ED. 6094

Temporada de IPOs

Após o IPO da Centauro, que será concluído hoje, a GP Investimentos vai se dedicar à abertura de capital de outra empresa da qual é acionista: a rede de salões Beleza Natural.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

15.04.19
ED. 6094

Ponto final

Procurados os seguintes citados não retornaram ou não comentaram o assunto: Casan e Aena, GP Investimentos.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.