Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

Planos
19.03.19
ED. 6075

Gerdau com um pé fora da Venezuela

A crise do governo Maduro está tragando os negócios da Gerdau na Venezuela. Segundo o RR apurou, a direção do grupo discute a suspensão das atividades na Siderúrgica del Zulia (Sizuca), sua controlada. Uma medida ainda mais radical sobre a mesa é o write off do ativo e o encerramento em definitivo da operação. As perdas acumuladas em 2018 teriam chegado a US$ 50 milhões. A usina foi comprada em 2007 por US$ 90 milhões – hoje, estima-se que não valha a metade. Por conta dos bloqueios de rodovias na Venezuela, a Sizuca tem sofrido seguidas interrupções no recebimento de minério de ferro e, sobretudo, no escoamento da produção.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

19.03.19
ED. 6075

Os grafiteiros

Eike Batista acha que o presidente Jair Bolsonaro enxergou longe ao elencar a exploração do grafito como uma das prioridades nacionais. Eike considera o mineral a matéria-prima do futuro e se diz pronto para pilotar um grupo de investidores para extrair e pesquisar os usos desse composto.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

19.03.19
ED. 6075

O consenso de Pirro e o teste de resistência do “Ilanismo”

A contraposição entre redução da taxa de juros e a reforma da Previdência começa a soar como um dilema falso. A essência do impasse é que a não aprovação da PEC alteraria negativamente as expectativas em relação ao ajuste fiscal e à solvência do Estado, com impacto nos prêmios futuros de risco. Esse cenário forçaria pelo menos a manutenção das atuais taxas de juros.

O consenso de Pirro, contudo, pode estar caindo por terra na reunião de hoje do Copom, a primeira com a participação de Roberto Campos Neto. Surpreendentemente, o cenário básico inclinou-se na direção de uma política monetária pró-estimulativa – nível de ociosidade crescente, melhora pequena das variáveis externas e perspectiva levemente cadente da inflação. A redução dos juros sinalizaria um ambiente mais arejado para aprovação da reforma da Previdência. Não só as expectativas, mas a realidade piorou, conforme demonstra a queda de 0,41% do IBC-BR de janeiro em relação a dezembro de 2018.

As quatro últimas projeções do Copom acusaram queda do PIB. O desemprego subiu na margem. A previsão de inflação para 2019 é de um índice abaixo da meta. A aprovação da reforma da Previdência pode ir além dos meses de junho e julho. Caso isso ocorra, o ambiente econômico se deprimirá. A sinalização de que a economia está sob controle e as expectativas ancoradas se daria exatamente pelo contrário, ou seja, um pouco de oxigênio na economia. Roberto Campos Neto tem hoje o primeiro teste se representa uma nova leitura da política monetária aplicada à conjuntura ou traz a continuidade do sectarismo de Ilan Goldfajn, responsável por parte da deterioração da atividade produtiva em função da sua política de corrigir os juros muito tempo depois dos malefícios causados sobre a economia.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

19.03.19
ED. 6075

Franqueza

O ministro Paulo Guedes conversava com colaboradores e economistas, após o evento de sexta-feira na FGV, quando abriu as portas para a franqueza: “Entre as grandes estatais a primeira que eu detonaria seria o BNDES.” O presidente do banco, Joaquim Levy, próximo da roda, esticava os ouvidos para ver até onde a honra lhe cabia.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

19.03.19
ED. 6075

“Bônus de performance”

Está em tramitação no Conselho Superior do Ministério Público Federal proposta que, se aprovada, aumentará o contracheque dos procuradores e subprocuradores da República. Ela prevê a criação de uma gratificação por exercício cumulativo de funções – desde o ano passado, alguns MPs estaduais já reivindicam a mesma medida. Os integrantes do MPF argumentam que a magistratura goza de prerrogativa similar.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

19.03.19
ED. 6075

Raia Drogasil faz a xepa

A Raia Drogasil está se especializando em raspar o tacho do varejo farmacêutico a custo zero. Após comprar a Drogaria Onofre, que pertencia à norte -americana CVS, movimenta-se para ficar com drogarias da Brasil Pharma, especialmente na Região Norte. A exemplo do acordo com a multinacional, não deve desembolsar um tostão. Aproveita-se da situação de fragilidade de Paulo Remy, dono da Brasil Pharma. As tentativas de venda das bandeiras da holding fracassaram. Para piorar, a Justiça suspendeu, liminarmente, o plano de recuperação judicial da companhia, que carrega uma dívida de R$ 1 bilhão.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

19.03.19
ED. 6075

Todos os holofotes sobre Schvartsman

Fabio Schvartsman, presidente licenciado da Vale, vai sair de uma inquirição para a outra. A Assembleia Legislativa de Minas protocolará nesta semana a convocação do executivo para a CPI de Brumadinho, recém-aberta na Casa. O depoimento deverá ocorrer já na semana que vem, poucos dias após à sabatina à que Schvartsman será submetido na Comissão Parlamentar do Senado, na próxima quinta-feira.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

19.03.19
ED. 6075

Alívio para Lorenzoni

Acusado de receber recursos “por fora” na campanha de 2014, Onyx Lorenzoni deverá ser um dos primeiros beneficiados com a “descriminalização” do Caixa 2. Havia o risco de que ainda neste mês o ministro Marco Aurélio Mello encaminhasse para a primeira instância o processo contra o ministro da Casa Civil, atendendo a pedido feito pela PGR, Raquel Dodge. Agora, a ação deverá descer suavemente para a Justiça Eleitoral.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

19.03.19
ED. 6075

O custo da casa própria

A pressão da nova diretoria da Caixa surtiu efeito: o Corinthians regularizou o pagamento do empréstimo pela construção da Arena Itaquera, que vinha sendo feito com atraso. No clube, no entanto, há quem diga que o crédito é “impagável”. O Corinthians já quitou cerca de R$ 120 milhões em juros e ainda restam mais de R$ 400 milhões a saldar. Procurada, a Caixa não quis se pronunciar, alegando que a operação é protegida por sigilo bancário.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

19.03.19
ED. 6075

Vibrando

Em Washington, Jair Bolsonaro vibra com o litígio entre os irmãos Frias pelo comando da Folha.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

19.03.19
ED. 6075

Câmara sem escola

A bancada do PSL, especialmente o deputado Felipe Francischini, novo presidente da CCJ, tem feito carga para colocar o projeto da “Escola sem partido” na pauta da Câmara. No que depender de Rodrigo Maia, no entanto, a proposta deve ficar do meio para trás na fila.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

19.03.19
ED. 6075

Ponto final

Procurados, os seguintes citados não retornaram ou não comentaram o assunto: Gerdau, Raia Drogasil e Brasil Pharma.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.