Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

Planos
14.03.19
ED. 6072

Nordeste é o Brasil que Bolsonaro precisa conquistar

O ministro Paulo Guedes vai receber entre hoje e amanhã uma pesquisa que reforça a urgência do governo elaborar projetos estruturantes e deslocar recursos para o Nordeste. O levantamento realizado pela Associação Comercial de São Paulo em 72 municípios brasileiros e obtido com exclusividade pelo RR expõe o desalento que impera na região, se comparado às demais áreas do país. Quando perguntados sobre a expectativa de conseguir emprego nos próximos meses, o Índice de Confiança medido entre os nordestinos foi o menor (82), contra 106 no Sudeste e 122 no Sul.

Não por coincidência, o Nordeste fechou o ano de 2018 com o maior índice de desocupação entre todas as regiões do país – 14,9%, contra 12,3% na média nacional, segundo o IBGE. O governo tem clareza de que o Nordeste é uma área por ser capturada, praticamente uma lacuna no mapa do bolsonarismo. Trata-se da única região em que o PT e consequentemente a esquerda seguem com uma posição de hegemonia eleitoral – Fernando Haddad ganhou em todos os estados no segundo turno.

Os números da Associação Comercial de São Paulo se juntarão a tantos outros indicadores que pressionam o governo a desenvolver ações com foco no Nordeste. A região leva dois anos para crescer o que o Brasil cresce em 12 meses (o que já nem é grande coisa). Em 2018, o PIB nordestino subiu 0,6%, contra 1,1% do resultado nacional. A deterioração econômica da região se reflete também no aumento do número de famílias que vivem abaixo da linha de pobreza. Essa proporção passou de 5,8% para 8,9% da população.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

14.03.19
ED. 6072

Miragens da Bastilha no apocalipse social do país

A Escola Superior de Guerra deve estar debruçada sobre análises relacionadas ao ambiente psicos-social do país. A ESG tem tradição de tratar com especial atenção esse caldo de sentimentos mórbidos que leva ao desequilíbrio nacional, impactando na forma como a sociedade reage e interage diante de situações aparentemente fora de controle. A ampliação dos dominios das milícias, a expansão dos tentáculos das facções criminosas, assassinatos políticos como o da vereadora Marielle Franco, ameaças de morte a parlamentares – a exemplo do deputado federal Marcelo Freixo – aumento dos homicídios mais violentos e casos crescentes de feminicídios têm tido uma divulgação impulsionada pelas redes que provoca uma sensação de desamparo, repulsa e ódio.

O mais recente e trágico episódio que adensa esse cenário de uma sociedade partida foi o genocídio de 10 adolescentes na cidade de Suzano, uma dizimação humana no ambiente escolar nunca dantes vista no país. Sem dúvida são assuntos distintos. Mas são todos interligados no imaginário da população. A combinação de insegurança com repulsa é o que faz subir a temperatura no termômetro psicossocial.

Tradicionalmente, a ESG e os militares da área de informações têm suas atenções voltadas para agitações sindicais, revolta da comunidade indígena, movimentos sociais como o MST, garimpo e afins. Não há registro de período onde a chaga social estivesse sangrando como em nosso tempo. O governo precisa tratar de cada uma dessas feridas. Mas também entender que a soma delas pode levar a um estado de conturbação descontrolado. A história mostra que nessas situações surgem jacobinos e incendiários para fazer do descalabro e das mortes combustível para ação política. É tudo o que não se deseja para o Brasil.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

exercito-rj
14.03.19
ED. 6072

Uma avis rara no banco dos réus

O RR apurou que o Superior Tribunal Militar vai retomar no dia 9 de abril o julgamento do ex-diretor de Engenharia da Aeronáutica, major-brigadeiro Herman Rubens Walenkamp. Trata-se de um caso delicado, um raro flagrante de porosidade na conduta de um oficial das Forças Armadas. Walenkamp foi denunciado pela Procuradoria- Geral da Justiça Militar por supostamente ter ordenado pagamentos irregulares à construtora Prescon, referentes a serviços que não foram efetivamente feitos pela empresa. O Julgamento na Corte Militar foi interrompido pelo pedido de vistas do ministro Artur Vidigal de Oliveira. Dois executivos da construtora Prescon e o ex-presidente da Comissão de Fiscalização da Diretoria de Engenharia da Aeronáutica, major Amilton de Albuquerque Santos, também foram arrolados no processo. No entanto, nos três casos, as ações penais foram encaminhadas para a primeira instância. Os dirigentes da Prescon teriam repassado cerca de R$ 100 mil a Santos. À época, a construtora tinha 16 contratos de prestação de serviço com a Força Aérea. Procurado, o Superior Tribunal Militar informou que não comenta ações ainda pendentes de julgamento. A Aeronáutica também declarou que não se pronuncia sobre processos em andamento.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

14.03.19
ED. 6072

Triste coincidência

A sessão de ontem do Senado, que votou projetos em favor da mulher, foi presidida por Lasier Martins (PSD-RS). Um infeliz paradoxo. Em 2017, o parlamentar gaúcho foi acusado por sua mulher, Janice Santos, de agredi-la com um cinto. A Polícia Civil do Distrito Federal abriu inquérito e o encaminhou para o STF, mas o caso acabou sendo arquivado.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

14.03.19
ED. 6072

Data de prescrição

Nomeado há apenas seis meses, o prazo de validade do presidente da Anvisa, William Dib, está chegando ao fim. Aos olhos do governo Bolsonaro, Dib é demasiadamente simpático à indústria de alimentos.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

14.03.19
ED. 6072

Esporte turbinado

No momento em que a Caixa Econômica incinera suas verbas de marketing para o futebol e os esportes olímpicos, uma boa nova: o RR apurou que o presidente da Fiat Chrysler, Antonio Filosa, anunciará hoje, no Rio de Janeiro, um novo e expressivo patrocínio na área esportiva. A montadora já investe no Atlético Mineiro, Cruzeiro e América-MG, além de times de vôlei.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

14.03.19
ED. 6072

Fator Abilio

Segundo informações filtradas do próprio Carrefour, o nome de Eneas Pestana circula na companhia como candidato a substituir José Luis Gutierrez no comando da operação de varejo do grupo no Brasil. Pestana tem um handicap: a histórica ligação com Abilio Diniz – acionista do Carrefour no Brasil e na França. Mas também tem um senão: a histórica relação com Abilio Diniz.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

14.03.19
ED. 6072

“Disclosure”

Além da prometida live semanal do presidente da República, fervilha entre os Bolsonaro a ideia de transmitir ao vivo nas redes sociais trechos das reuniões ministeriais. Se o objetivo é constranger publicamente os ministros, o clã está no caminho certo. Seria uma cópia manca da TV Justiça, que exibe as sessões do STF.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

14.03.19
ED. 6072

Aterrissagem

A francesa Vinci vai despejar potência no bloco de seis aeroportos do Nordeste, que será leiloado amanhã.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

14.03.19
ED. 6072

Dueto

BNDES e Previ costuram uma oferta conjunta de suas participações na Fundição Tupy. A saída se daria por meio de um leilão em bolsa, com a pulverização do controle da empresa.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

14.03.19
ED. 6072

Ponto final

Procuradas, os seguintes citados não retornaram ou não comentaram o assunto: Prescon, Carrefour, BNDES e Previ.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.