Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

Planos
16.01.19
ED. 6034

O segundo tiro de Bolsonaro

O decreto que regulamenta o registro, posse e comercialização de armas de fogo foi apenas um aperitivo. O presidente Jair Bolsonaro já autorizou que sejam redigidas as regulamentações sobre porte, uso e defesa pessoal. Merece registro a pouca simpatia que o ministro da Justiça, Sérgio Moro, tem pelo assunto. Por ele não se mexeria nisso agora. Mas Bolsonaro pediu e o Ministério da Justiça enviou a minuta para o Palácio do Planalto. A redação final foi feita a quatro mãos, pelo ministro da Casa Civil, Ônix Lorenzoni, e o ministro do Gabinete de Segurança Institucional, general Augusto Heleno.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

16.01.19
ED. 6034

Questão de juízo

Está nas mãos do presidente em exercício do STF, Luiz Fux, pronta para ser julgada, a ação penal contra o presidente Jair Bolsonaro, acusado de calúnia e difamação por declarações contra a deputada Maria do Rosário. Em outubro, o mesmo Fux barrou uma manobra jurídica do Patriota, o que, na prática, acelerou o julgamento do processo. Eram outros tempos. Entre os próprios pares de Fux no STF, a aposta é que ele deixará o caso sobre a mesa da presidência da Suprema Corte, até a volta de Dias Toffoli.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

16.01.19
ED. 6034

Um nome de consenso no Conselho da Petrobras

A interpretação de que o ministro de Minas e Energia, almirante Bento Leite de Albuquerque, está expandindo sua influência sobre a gestão da Petrobras devido a indicação do almirante Eduardo Leal Ferreira para a presidência do Conselho de Administração da empresa é ben trovato. Mas não bate com a realidade dos fatos. A indicação do presidente do Conselho foi do Palácio do Planalto. O ministro da Economia, Paulo Guedes, poderia ter sido o presidente do CA, a exemplo do que ocorreu com Guido Mantega. Mas seria um caso de acúmulo de poder de mais e independência de menos. Além do que, a péssima lembrança do ex-ministro da Fazenda à frente do board da estatal ainda está muito fresca. O presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, foi ouvido para a escolha do presidente do Conselho de Administração. Suas relações com a Marinha são as melhores desde os tempos de Colégio Naval. Sua posse foi um dos eventos prestigiados com o maior número de oficiais da Força. No seu discurso de posse, Castello Branco fez questão de dizer que o ingresso na Petrobras significava também o seu reencontro com a Marinha. Parecia uma espécie de charada. Mas, com
o tempo, as promoções de ex-oficiais da Armada foram elucidando o pseudoenigma. Cabe ressaltar que o presidente da Petrobras não faz o gênero de pau mandado. Quando aceitou a missão, a pedido de Paulo Guedes, disse que faria o seu melhor, mas se começassem a interferir na sua gestão, pulava fora, imediatamente.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

16.01.19
ED. 6034

Grande marcha

A Ant Financial, maior fintech da China, prepara-se para desembarcar no Brasil com seu cardápio de soluções para pagamento eletrônico. Será o braço financeiro do Alibaba, o gigantesco site de e-commerce que fatura mais de US$ 50 bilhões em todo mundo. Ambos têm o mesmo pai: o bilionário chinês Ma Yún.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

16.01.19
ED. 6034

Procura-se

Para o ministro Sérgio Moro, a extradição de Cesare Battisti para a Itália está longe de ser o epílogo deste folhetim. Um troféu ainda mais reluzente será a prisão dos eventuais colaboradores da fuga de Battisti para a Bolívia.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

16.01.19
ED. 6034

Plano da Cultura enfrenta resistências

Amanhã, um grupo de aproximadamente 20 credores da Livraria Cultura vai se reunir para analisar o plano de recuperação judicial apresentado pela companhia. Segundo o RR apurou, duas grandes editoras já se mostraram contrárias aos termos da proposta. O executivo de uma destas empresas chega a classificar o plano como uma “chantagem” contra os credores. O motivo é o escalonamento sugerido pela Cultura. Na proposta feita pela empresa, o pagamento das dívidas com menor deságio (de zero a 25%) ficaria restrito aos fornecedores que mantiverem a entrega de produtos para a livraria. Estes credores seriam os “incentivadores”, os parceiros do soerguimento da rede. Por sua vez, as editoras que se negarem a fornecer mercadorias para a Cultura receberiam, no máximo, 30% do valor de face da dívida. Para os credores que desde já rechaçam a proposta, este modelo teria como objetivo escancarado constranger as editoras, forçando-as a refinanciar a rede de livrarias para receber uma parcela maior de seus créditos. Apesar da resistência de grandes fornecedores, a Cultura joga suas fichas na estiagem alheia: a aposta é que o plano será aprovado pela maioria dos credores, editoras que também estão com a corda no pescoço e precisam receber o quanto antes. Os próximos capítulos começarão a ser escritos a partir de amanhã.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

16.01.19
ED. 6034

Alexandre Frota e o Jacaré

Alexandre Frota já encontrou o seu “Carlos Bolsonaro”. Terceirizou sua comunicação nas redes sociais para os idealizadores do “Jacaré de Tanga”, canal de humor no YouTube que se notabilizou por defender as bandeiras de Jair Bolsonaro na campanha. São 500 mil seguidores. Para alegria de seus fãs, de tempos em tempos, o ator-parlamentar deverá estrelar esquetes da trupe.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

16.01.19
ED. 6034

Embaixador do Rio

O governador Wilson Witzel teria convidado o deputado Simão Sessim (PP-RJ) para assumir a “embaixada” do Rio em Brasília. Caberia a ele acompanhar os assuntos de interesse do estado junto ao Executivo e, notadamente, ao Congresso. Soa como prêmio de consolação. Após dez mandatos consecutivos na Câmara, Sessim, 83 anos, não conseguiu se reeleger.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

16.01.19
ED. 6034

Latifúndio elétrico

A presença chinesa na área de geração – alvo de Jair Bolsonaro na sua campanha – vai ganhar mais megawatts. A SPIC deverá investir cerca de R$ 1 bilhão para expandir a capacidade da hidrelétrica de São Simão, comprada da Cemig no ano passado.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

16/01/19 15:51h

abiancardi@biancardiseguros.com.br

disse:

16.01.19 ED. 6034 Latifúndio elétrico Jair Bolsonaro Spic A presença chinesa na área de geração – alvo de Jair Bolsonaro na sua campanha – vai ganhar mais megawatts. A SPIC deverá investir cerca de R$ 1 bilhão para expandir a capacidade da hidrelétrica de São Simão, comprada da Cemig no ano passado. 0 COMENTAR

16.01.19
ED. 6034

Rio Tietê

O GIC, fundo soberano de Cingapura, está submerso nos números da Sabesp. A estatal paulista deverá ser colocada na vitrine ainda neste ano, seja por meio de um IPO, seja por meio da privatização.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

16.01.19
ED. 6034

Segunda escala

A inglesa WHSmith, rede de lojas de conveniência em aeroportos, vai ganhar altitude no Brasil. Pretende chegar à marca de até 20 lojas no país até o fim deste ano. Hoje, são 11 pontos de venda, concentrados nos aeroportos do Galeão e de Guarulhos.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

16.01.19
ED. 6034

CPI do Coaf

O líder do PT na Câmara, Paulo Pimenta, tem propalado que o partido já garantiu 90 assinaturas para a abertura da CPI do Coaf.  “Só” faltam 81 chamegões..

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

16.01.19
ED. 6034

Ponto final

Procuradas, as seguintes empresas não retornaram ou não comentaram o assunto: Livraria Cultura, GIC e WHSmith.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.