Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

Planos
10.12.18
ED. 6011

Um país de costas para a inovação

Uma amostra de como o empresariado brasileiro e o setor público estão no medievo quando o assunto é inovação e tecnologia. O país não terá qualquer representação de empresas e muito menos de governo no seminário que a Organização Internacional do Trabalho (OIT) realizará nesta semana, em Genebra, sobre a indústria 4.0. A delegação verde-amarela se limitará a duas entidades sindicais: a Federação dos Trabalhadores nas Indústrias Químicas e Farmacêuticas do Estado de São Paulo e o Sindicato dos Químicos de Santos e Região.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

10.12.18
ED. 6011

Cultura sem crédito e sem livros?

A Livraria Cultura caminha para ter o pior Natal da sua história. Em recuperação judicial, com uma dívida de R$ 285 milhões, a empresa corre o risco de não ter mercadoria para vender. Segundo o RR apurou, as maiores editoras do país suspenderam a entrega de livros para a companhia. De acordo com um dos principais credores da Cultura, ouvido pela newsletter, a rede de livrarias propôs pagar apenas 10% do valor das encomendas, com a promessa de quitar o restante a partir de janeiro. No entanto, as editoras não receberam qualquer garantia de pagamento com a receita que viria a ser obtida durante o mês de dezembro. O temor dos credores é fornecer livros à Cultura para que a companhia faça caixa e acabe usando o dinheiro em outras obrigações, como pagamentos de salário e aluguel de lojas. A situação financeira da Cultura é bastante complexa, com uma preocupante combinação de dívida alta e fluxo reduzido. A empresa teria em caixa neste momento algo em torno de R$ 2 milhões, valor insuficiente para adquirir, a preço de custo, os 20 milhões de exemplares estimados para atravessar o mês de dezembro.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

10.12.18
ED. 6011

“Superagência” da Agricultura morre antes de brotar

“Super” no governo Bolsonaro, ao que parece, só Paulo Guedes e Sérgio Moro. A proposta de transformação da Secretária de Defesa Agropecuária (SDA) em uma “superagência” fiscalizadora do agronegócio, que conta com o aval da futura ministra, Tereza Cristina, deverá morrer ainda na raiz. O projeto não poderia ter maior adversário na “nova República”: o próprio Guedes. O ministro da Economia não quer concorrência para a Receita Federal. O projeto, concebido pelo atual ministro Blairo Maggi e levado para a mesa da equipe de transição por Tereza Cristina, prevê que a “superagência” seja responsável não apenas pela fiscalização, mas pela cobrança, arrecadação e gestão de metade das multas aplicadas ao setor agrícola – papel que compete ao Fisco. O “super” ministro da Economia não admite abrir mão dessa receita.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

10.12.18
ED. 6011

O novo crédito da Caixa

Em meio às interrogações sobre o seu futuro, a Caixa Econômica prepara o lançamento de uma nova modalidade de crédito habitacional. O RR apurou que o banco permitirá ao mutuário alugar o imóvel mediante um sistema de propriedade associativa, o que hoje é proibido. A Caixa pretende adotar uma postura comercial agressiva para tomar terreno de concorrentes que já oferecem esse tipo de crédito.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

10.12.18
ED. 6011

Banalização da liberdade

Lula é “apenas” mais um. O número de pedidos de habeas corpus ao STF bateu recorde: foram 12,2 mil entre janeiro e novembro, já acima das 11 mil alforrias solicitadas durante 2017.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

10.12.18
ED. 6011

Arrastão chinês

Logo no início do mandato de Jair Bolsonaro, que tanto critica a invasão chinesa no setor elétrico, a Three Gorges deverá anunciar a compra de um pacote de ativos na área de energia.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

10.12.18
ED. 6011

Fundo canadense banca fusão

Reuniões previstas para esta semana, no Brasil e no Canadá, poderão selar uma das maiores operações de M&A já realizadas no mercado brasileiro de shopping centers. A operação envolve a combinação dos ativos da Aliansce com os da portuguesa Sonae Sierra no Brasil. Quem surge como o dínamo da negociação é o Canada Pension Plan Investment Board (CPPIB). Dono de 38% da Aliansce, o fundo de pensão canadense está disposto a fazer um significativo aporte para viabilizar o acordo e garantir uma participação expressiva no capital da nova empresa. Vale o bilhete de entrada e voz ativa na gestão de uma holding que reunirá 30 shoppings, faturamento anual superior a R$ 1 bilhão e um Ebitda combinado, a números de 2017, de R$ 470 milhões.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

10.12.18
ED. 6011

Descontaminação

João Amoedo tem feito de tudo para defender a “pureza” do Partido Novo. Diz a quem quiser ouvir que a nomeação de Ricardo Salles, integrante da sigla, para o Ministério do Meio Ambiente é uma escolha pessoal de Jair Bolsonaro e não uma indicação partidária. Só não dá o mesmo disclosure à informação de que Salles o consultou e teve seu aval para assumir a Pasta.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

10.12.18
ED. 6011

Há muito de Aécio em Richa

A Copel está para Beto Richa como a Cemig para Aécio Neves. Mesmo fora do governo e com uma prisão nas costas, Richa não desencarna da estatal e manobra para manter Jonel Iurk na presidência da estatal.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

10.12.18
ED. 6011

Marquise esticada

A partir de 1 de janeiro, quando deixará a Secretaria de Governo da Presidência, o ministro Carlos Marun assumirá o grupo de plantão de Câmara. Ficará no posto até 1 de fevereiro, data de posse dos novos parlamentares. Ou seja: não é nada, não é nada, garantirá o foro privilegiado por mais um mês.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

10.12.18
ED. 6011

Matrimônio da esquerda

O PDT reabriu conversações para uma aliança com o PSB, que tanta falta fez a Ciro Gomes na eleição. O acordo mira em 2020, com o lançamento de candidato único a prefeito em cidades com mais de 200 mil habitantes.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

10.12.18
ED. 6011

Ameaça vermelha

Como se não bastasse a refrega entre Eduardo Bolsonaro e Joice Hasselmann, uma questão aparentemente prosaica causa fissuras no PSL. Trata-se do convite do Partido Comunista Chinês a parlamentares brasileiros para uma visita a Pequim. O presidente do PSL, Luciano Bivar, defende a ida de uma comitiva da legenda. No entanto, boa parte da bancada, incluindo a própria Joice, rechaça a ideia de pisar “naquela terra de comunistas”.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

10.12.18
ED. 6011

Vagas abertas

Rotina de um melancólico fim de governo: até o momento, além de Eduardo Guardia, da Fazenda,não há qualquer outro ministro confirmado na comitiva do presidente Michel Temer que irá a Montevidéu, na próxima semana, para a reunião do Mercosul.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

10.12.18
ED. 6011

Real estate

Em meio à intensa disputa entre os senadores eleitos pelos melhores gabinetes da Casa, Jaques Wagner já fisgou um dos “imóveis” mais cobiçados. Ficará com a sala de José Pimentel (PT-CE) no 23º andar do Anexo 1, com ampla vista para a Esplanada dos Ministérios.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

10.12.18
ED. 6011

Ponto final

As seguintes empresas não retornaram ou não comentaram o assunto: Caixa, Cultura, Aliansce, Sonae Sierra e CPPIB.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.