Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

Planos
05.12.18
ED. 6008

Bolsonaro estica a marquise do Fies para o ensino a distância

Jair Bolsonaro vai cumprir mais uma promessa de campanha: o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), alvo de duras críticas do Capitão durante a campanha, não vai ficar como está. A equipe de transição já tem recomendação expressa de fazer profundas no escopo do programa. A mais contundente será a sua expansão para alunos do segmento de ensino a distância (EAD). Hoje, a concessão de crédito está restrita a estudantes de cursos presenciais. Em seu ápice, em 2014, o Fies chegou a beneficiar 700 mil alunos. No entanto, as regras mais rígidas estabelecidas no governo Temer afunilaram o acesso ao programa. Em 2017, segundo dados do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), apenas 170 mil estudantes ingressaram em escolas de nível superior por intermédio do Fies, o menor número em seis anos. Na avaliação de assessores de Bolsonaro para a área de educação, o Fies é hoje um programa capenga, divorciado da realidade do setor. Estudos do Ministério da Educação recebidos pela equipe de Bolsonaro mostram que, até 2023, o número de alunos de graduação a distância deverá superar o de estudantes em turmas presenciais. Em 2017, o segmento de EAD já somava 46,8% do total de matrículas do país. Ressalte-se que um dos principais conselheiros de Bolsonaro para o setor é o professor Stavros Xanthopoylos, diretor da Abed (Associação Brasileira de Educação a Distância). A ampliação do Fies para os cursos a distância é uma reivindicação antiga dos grupos privados da área de educação. Outro pleito é que o governo flexibilize as regras para a renegociação de dívidas no âmbito do Fies. Hoje, cerca de 500 mil jovens estão em atraso no pagamento do financiamento. As instituições privadas alegam que as formas de negociação vigentes, com parcelas mínimas de R$ 200, têm dificultado a regularização das dívidas.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

05.12.18
ED. 6008

Marrocos não verá Michel Temer

Micou a viagem que Michel Temer faria ao Marrocos na semana que vem. O Itamaraty aconselhou o presidente a não participar de cúpula da ONU marcada para os dias 10 e 11, em que será tratada a situação global de migrantes e refugiados. O Ministério das Relações Exteriores alertou Temer sobre a possibilidade de protestos no país árabe devido à anunciada decisão de Jair Bolsonaro de transferir a embaixada brasileira em Israel de Telaviv para Jerusalém. Em tempo: o cancelamento da viagem causou frustração entre ministros e, sobretudo, assessores que estavam destacados para fazer parte da comitiva. Esta seria a última viagem de mais fôlego do presidente Temer – na agenda há apenas uma visita ali ao lado, ao Uruguai, para uma reunião do Mercosul.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

05.12.18
ED. 6008

Isonomia

A AGU entrou com embargo de declaração no STF, na última segunda-feira, pedindo que colégios da Marinha e da Aeronáutica também possam cobrar mensalidades. No final de outubro, por unanimidade, o Supremo considerou legal tal taxação por parte do Exército. A cobrança dará uma folguinha de caixa para o Ministério da Defesa, responsável pelo repasse de recursos a estas instituições.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

05.12.18
ED. 6008

Terra à vista

George Soros, ou melhor, a Adecoagro, da qual é um dos principais acionistas, está em busca de terras no Brasil.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

05.12.18
ED. 6008

Será o Benedito?

Cerca de 60 procuradores do Ministério Público Federal já estão em campanha pela indicação de Ailton Benedito, chefe do MPF-GO, para a PGR. Os cabos eleitorais de Benedito estão, inclusive, reunidos em um grupo de WhatsApp batizado de “Liberais e conservadores”.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

05.12.18
ED. 6008

Segurança de Bolsonaro é uma questão de fé

Nunca se rezou tanto por um presidente antes que tomasse posse. Aliás, um presidente no gozo da sua saúde, antes que se faça qualquer correlação com Tancredo Neves. Hoje, nesta hora, neste exato minuto, há fieis orando por Jair Bolsonaro. Um fenômeno conquistado com um discurso permanente sobre o risco da integridade física do futuro mandatário. Antes mesmo de tomar a facada que mudou o rumo da história, entre as hostes bolsonímicas já se levantava a probabilidade de um atentado contra o candidato do PSL e a mudança que ele representava.

Dito e feito. Houve o atentado. E nunca mais se parou de aventar a possibilidade dele se repetir. Os principais assessores do presidente eleito e seus próprios filhos são os responsáveis pelo clima de medo e tensão permanente, levantando suspeitas, inclusive, entre os mais próximos de Bolsonaro. Entre estes, as maiores interrogações recaem sobre os aliados de últimahora. São também potenciais matadores o PT, o MST, indigenistas, sindicalistas e os “esquerdopatas” de vários matizes.

Estranha-se que, em meio à tamanha preocupação e cuidados com a saúde do futuro presidente, tenham se esquecido de dar a transparência devida ao depoimento de Adélio Bispo, o homem da faca. Ninguém nunca leu a íntegra do seu depoimento. O grau de ansiedade tem se ampliado em direção aos próprios filhos, que deverão ter proteção especial e andar em carros blindados. Se houver realmente uma conspiração para o extermínio de Bolsonaro, é algo demasiadamente preocupante. Caso contrário, pode ser uma estratégia muito bem feita de comunicação.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

05.12.18
ED. 6008

Kepler Weber rodopia nas bolas

A roleta gira freneticamente no cassino da bolsa. Desde o início de novembro, quando o superministro Paulo Guedes sinalizou a venda de participações societárias do Banco do Brasil em empresas, a ação da Kepler Weber já subiu mais de 35%. Segundo o RR apurou, um grande banco norte-americano tem atuado freneticamente nas duas pontas do balcão. O BB tem 17,4% do capital ordinário da fabricante de silos. A Previ, outro tanto

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

05.12.18
ED. 6008

Varejista sueca a caminho do Brasil

A rede sueca H&M, multinacional do setor de vestuário, está se preparando para aterrissar no Brasil. O grupo já teria, inclusive, conversas engatilhadas com administradoras de shopping centers no país. Os suecos, que faturam cerca de US$ 25 bilhões por ano com suas lojas em mais de 60 países, chegaram a ensaiar sua entrada no Brasil há cerca de três anos. Mas aí vieram a crise econômica, uma recessão, queda brutal do consumo, um impeachment presidencial…

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

05.12.18
ED. 6008

Glória a Deus

A bancada evangélica está promovendo o milagre da multiplicação. Desde a eleição, o número de deputados e senadores reunidos para a próxima legislatura já subiu de 88 para 108. Não faltam parlamentares de fé dispostos a se juntar ao que promete ser um dos mais fortes grupos no Congresso no governo Bolsonaro.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

05.12.18
ED. 6008

O último uivo

O longo reinado de 11 anos de Marcio Lobão na presidência da Brasilcap está chegando ao fim. A substituição do fi lho de Edison Lobão é uma das prioridades do futuro presidente do Banco do Brasil, Rubem Novaes. Junto com “Lobinho” vão embora as acusações de corrupção que pesam contra ele no âmbito da Operação Leviatã, que investiga suposta propina na construção de Belo Monte.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

05.12.18
ED. 6008

Os batutinhas

João Doria e Geraldo Alckmin parecem dois alunos ginasiais. Agora, disputam a primazia de conduzir a reunião da bancada do PSDB com Jair Bolsonaro prevista para esta semana.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

05.12.18
ED. 6008

Ponto final

Procuradas pelo RR, as seguintes empresas não retornaram ou não comentaram o assunto: H&M e Adecoagro.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.