Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

Planos
20.11.18
ED. 5997

Itaipu abre uma nova fenda nas relações entre Brasil e Paraguai

O novo ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, já tem à sua espera um elétrico imbróglio com o Paraguai. Segundo informações filtradas do Ministério de Minas e Energia, o governo do presidente Mario Benítez tem feito pressão pelo cancelamento da licitação para a atualização tecnológica de Itaipu. Excetuando-se a sua construção, trata-se de uma das maiores contratações já realizadas pela empresa binacional: o valor passa dos US$ 600 milhões. De acordo com a fonte do RR, o país vizinho questiona os critérios da concorrência. Alega que a diretoria da hidrelétrica estipulou regras sob medida para embarreirar empresas paraguaias e manter o centro de decisões do projeto no Brasil. Em início de mandato, o presidente Benítez certamente vislumbra a oportunidade de se capitalizar ao brigar pela maior participação de empresas e de mão de obra paraguaia no projeto. Ressalte-se ainda que o impasse tem como pano de fundo uma questão ainda maior. Trata-se da negociação do chamado Anexo C, que envolve as cláusulas financeiras do Tratado de Itaipu – ver RR edição de 17 de outubro. O novo governo paraguaio já sinalizou que quer uma cota maior da energia produzida pela hidrelétrica. Consultada, Itaipu Binacional disse não “ter conhecimento sobre as supostas divergências” em torno do Anexo C. Sobre a licitação, informou que o processo “está em fase de pré-qualificação das empresas e consórcios interessados”. A companhia não se pronunciou acerca dos questionamentos feitos pelo governo do Paraguai. No total, 140 empresas adquiriram o caderno de bases e condições para a licitação – 100 brasileiras e 40 paraguaias. Destas, 21 se apresentaram para a disputa. De acordo com a assessoria de imprensa de Itaipu, as companhias habilitadas serão definidas até 14 de dezembro, data da última reunião do Conselho de Administração em 2018.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

20.11.18
ED. 5997

Sérgio Moro e montadoras em rota de colisão

Como se não bastassem os temas de alto quilate que aguardam por Sérgio Moro, caberá ao futuro superministro desvendar um “mistério” sobre quatro rodas: por que, há oito anos, sem cerimônia, o Denatran descumpre a determinação do Ministério da Justiça obrigando os documentos veiculares a registrarem que aquele automóvel não atendeu a um recall da montadora? O órgão garante que a medida será executada em 2019, promessa que já perdeu crédito, tamanho o número de adiamentos. Se Moro se debruçar sobre a questão com o ímpeto que o caracteriza, as montadoras provavelmente terão dias difíceis. Consta que o setor automotivo faz pressão contra a decisão, vista como um “carimbo” de que um determinado modelo saiu com problema de fábrica. Guardadas as devidas proporções, o alerta no documento do carro estaria para as montadoras como as terríveis imagens sobre enfermidades nos maços de cigarro estão para a indústria do tabaco.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

20.11.18
ED. 5997

O satélite de Kassab

O ministro das Comunicações, Gilberto Kassab, tem usado da sua razoável influência junto à equipe de transição de Jair Bolsonaro para defender a assinatura do acordo entre a Telebras e a norte-americana Viasat, suspenso pelo TCU. Em jogo, a gestão do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas. As Forças Armadas veem a terceirização com bons olhos, o que é meio caminho andado…

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

20.11.18
ED. 5997

Efeito Bolsonaro?

A Klabin deverá anunciar antes da virada do ano um pacote de investimentos da ordem de R$ 6 bilhões na produção de celulose.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

20.11.18
ED. 5997

“B” de blindagem

Mesmo com a eliminação da seleção na Copa e os escândalos protagonizados por seus cartolas, a CBF caminha para fechar o ano com um faturamento superior a R$ 650 milhões. Em 2017, a receita foi de R$ 590 milhões.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

20.11.18
ED. 5997

Bolsonaro não precisa de horário eleitoral

Na visita que fez à presidente do TSE, Rosa Weber, na semana passada, Jair Bolsonaro lançou no ar a ideia de se extinguir o horário eleitoral obrigatório no rádio e na TV. Com a sua habitual crueza, o presidente eleito, que se valeu como ninguém das redes sociais em sua campanha, chegou a dizer que: “Ninguém mais assiste a esse negócio. As pessoas preferem jantar e conversar com a sogra”. A ministra Rosa Weber apenas ouviu, sem tecer qualquer comentário.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

20.11.18
ED. 5997

O Walmart Brasil ainda é Walmart Brasil

Ainda vai levar um tempo para a gestão do Advent se refletir nos resultados do Walmart no Brasil. Segundo o RR apurou, a empresa vai fechar 2018 no vermelho. Será o oitavo ano de prejuízo no período de uma década. Além disso, o Walmart, que historicamente sempre teve um desempenho pífio no e-commerce no país, perdeu terreno no setor: sua participação no ranking das vendas pela internet no Brasil estaria perto dos 2%, contra 2,5% no ano passado.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

20.11.18
ED. 5997

Hub de exportação

A PSA – leia-se Peugeot Citroën – pretende dar um upgrade na sua fábrica de Porto Real, no Sul do Rio de Janeiro. A ideia dos franceses é transformá-la em um centro de exportação de veículos para boa parte da América do Sul e até mesmo mercados africanos.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

20.11.18
ED. 5997

O ministro sem Pasta de Bolsonaro

O ex-ministro do Trabalho do governo Temer, Ronaldo Nogueira (PTB-RS), vem se revelando um influente conselheiro de Jair Bolsonaro. Nogueira tem sido uma das principais vozes na defesa da extinção da Pasta do Trabalho, medida que vai e vem na cabeça de Jair Bolsonaro. Também partiu dele a indicação de Pablo Tatim, seu assessor no Ministério, para a função de coordenador jurídico da equipe de transição de Bolsonaro. Nogueira, ressalte-se, é persona non grata entre as grandes centrais sindicais do país. Líderes da classe trabalhadora costumam acusá-lo de trabalhar pelo fim da Pasta por dentro, desde quando ainda ocupava o cargo de ministro. Nogueira, coadjuvado pelo próprio Pablo Tatim, teve papel marcante na articulação com o Congresso para a aprovação da reforma da CLT. O projeto, ressalte-se, começou com dez emendas e terminou com mais de cem, em grande parte graças à atuação da dupla Nogueira/Tatim.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

20.11.18
ED. 5997

Feitos um para o outro

Se não ocorrer algo extraordinário, o DEM vai anunciar nos próximos dias seu alinhamento formal ao governo Bolsonaro. A costura tem sido feita, de um lado, por Rodrigo Maia e ACM Neto e, do outro, pelo próprio Capitão e por Eduardo Bolsonaro. Entre outros pontos, o acordo passa pela garantia de que o PSL não indicará candidato à presidência da Câmara.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

20.11.18
ED. 5997

Balão de ensaio murcho

A proposta de Eduardo Bolsonaro de “criminalizar o comunismo” é tratada como algo despropositado dentro da própria bancada do PSL. Segundo o RR apurou, pelo menos 22 dos 52 deputados eleitos já se posicionaram contra a ideia. Entre eles, o próprio presidente do partido, Luciano Bivar.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

20.11.18
ED. 5997

Visto de permanência

O ministro do Turismo, Vinícius Lummertz, viaja no sonho de garantir um assento no próximo governo. Tem feito intensa peregrinação junto à equipe de transição de Bolsonaro na tentativa de assumir a futura Secretaria de Turismo ou mesmo a presidência da Embratur.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

20.11.18
ED. 5997

Ponto final

Procuradas pelo RR, as seguintes empresas não retornaram ou não comentaram o assunto: CBF, Klabin, Walmart e Peugeot

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.