Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

Planos
17.10.18
ED. 5975

Itaipu é um fio desencapado para o futuro governo

Um impasse bilateral de razoável voltagem aguarda pelo futuro presidente da República. Segundo informações filtradas do Ministério de Minas e Energia, o novo governo do Paraguai pretende antecipar a renegociação do Tratado de Itaipu, notadamente do chamado Anexo C, que abrange as cláusulas financeiras. Em setembro autoridades paraguaias mantiveram os primeiros contatos neste sentido com o ministro Moreira Franco.

O país vizinho aguarda pela posse do próximo presidente brasileiro para avançar na intrincada questão. A rigor, o acordo em vigor vence apenas em 2023. Como contrapartida, o governo do Paraguai acena com a possibilidade de quitação antecipada da dívida referente à construção da hidrelétrica, prevista para o mesmo ano. O tema se torna ainda mais complexo diante do favoritismo eleitoral de Bolsonaro e da expressiva participação de generais que se anuncia para o seu Ministério. Sob a ótica militar, Itaipu sempre foi mais do que uma “mera” usina; trata-se de uma questão de segurança nacional.

Do lado paraguaio, a renegociação figura entre as missões do economista norte-americano Jeffrey Sachs, contratado como assessor econômico do novo presidente Mario Benítez, no cargo há menos de dois meses. Em 2013, curiosamente, o mesmo Sachs elaborou um controverso relatório afirmando que o Paraguai já havia quitado o empréstimo relativo à construção da usina. O fato é que o governo de Benítez alega que as cláusulas em vigor são anacrônicas e não refletem o crescimento da economia local.

Pelo Tratado, os paraguaios são obrigados a dar preferência ao Brasil na venda da energia de Itaipu que não consomem. Mais do que isso: o insumo é vendido a preços prefixados, o que traria prejuízos ao país. Ressalte-se que o Paraguai caminha a passos largos para o que, por décadas, parecia algo inimaginável: usar plenamente a cota a que tem direito, ou seja, metade da produção da hidrelétrica. O franco crescimento da economia local – em média 4,5% ao ano – tem puxado a demanda pelo insumo. Nos últimos dez anos, a contratação de energia pelo Paraguai cresceu, em média, 8,1%. Mas, se considerado apenas o período a partir de 2014, essa média dispara para mais de 20%.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

A alemã Fraport AG Frankfurt entrou na disputa para ficar com a concessão do Aeroporto de Viracopos. Seu principal concorrente é a Zurich Airport. Hoje, a operação é controlada pela Triunfo Participações e pela UTC Engenharia. Os dois grupos estão dispostos a devolver a concessão caso o governo não autorize sua venda.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

17.10.18
ED. 5975

Terra asiática

Depois dos chineses, chegou a vez do sul-coreanos avançarem em solo brasileiro. A CJ CheilJedang – um dos maiores grupos de agronegócio da Coréia do Sul, com faturamento anual próximo a US$ 20 bilhões – vem comprando fartas extensões de terras no Centro-Oeste. O objetivo é abastecer o mercado asiático de soja e milho.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

17.10.18
ED. 5975

Esbanjando saúde

O fundo Mubadala, que herdou parte dos ativos do antigo Império X, Eike Batista, pretende investir pesado no mercado de saúde no Brasil. Já estaria em negociações para a compra de um hospital em São Paulo.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

17.10.18
ED. 5975

As últimas moedas de troca de Temer

A Caixa Econômica vai anunciar em até duas semanas os nomes dos novos vice-presidentes que ocuparão as cadeiras vagas desde janeiro, quando quatro executivos investigados pelo Ministério Público Federal foram afastados. Segundo o RR apurou, após duas etapas de seleção, há pouco mais de 20 finalistas, que vêm sendo submetidos à ultima rodada de entrevistas. A nomeação chama a atenção pelo timing. A rigor, o quarteto deverá ficar no cargo por não mais do que dois meses, até a posse do novo governo. Mas, por menor que venha a ser o mandato, o presidente Michel Temer não desperdiçaria esta oportunidade. Para todos os efeitos, a escolha está sendo feita por uma empresa independente, sem ingerências políticas. Na prática, no entanto, PP, MDB e PRB se movimentam nos bastidores para emplacar os eleitos.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

17.10.18
ED. 5975

Diáspora na esquerda

Tarso Genro está apenas esperando a eleição passar para retomar as discussões em torno da criação de um novo partido de esquerda. A legenda reuniria, assim como ele, outros retirantes do PT e egressos do PCdoB e do PSOL. Genro foi um dos raros petistas que defendeu explicitamente o apoio a um candidato à Presidência de fora do partido, mais precisamente Guilherme Boulos.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

17.10.18
ED. 5975

Dolorosa derrota

Um dos bruxos do marketing político no Brasil, o publicitário Fernando Barros sai destas eleições com dois troféus e uma amarga derrota. De um lado, o dono da Propeg ajudou a eleger em primeiro turno Paulo Câmara e Ratinho Junior respectivamente para os governos de Pernambuco e Paraná. Por outro, não se conforma com o revés do também cliente Cesar Maia. O ex-prefeito liderou todas as pesquisas ao Senado no Rio e, na reta final, foi tragado pela onda da direita, que elegeu Flavio Bolsonaro e Arolde de Oliveira.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

17.10.18
ED. 5975

Um “astro de TV” rumo ao governo do Rio

O comunicador Wagner Montes (PRB-RJ) talvez nem chegue a assumir sua vaga na Câmara dos Deputados, para a qual foi eleito com 65 mil votos. Montes está cotado para compor a equipe de governo de Wilson Witzel (PSC) em caso de vitória do ex-juiz nas eleições do Rio. Segundo o RR apurou, as primeiras sondagens foram feitas na semana passada, enquanto Montes celebrava sua votação para o Congresso Nacional em viagem de férias a Foz do Iguaçu (PR). Wagner Montes tem tudo a ver com o perfil construído por Witzel em sua campanha. Notório apresentador de programas policiais desde o início da década de 80, Montes se notabilizou na TV por defender e propalar o discurso do “bandido bom é bandido morto”, tão ao gosto do eleitorado neste ano – e também do próprio Witzel.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

17.10.18
ED. 5975

Biotônico

A indústria farmacêutica não tem do que reclamar. Segundo o RR apurou, o Sindusfarma já trabalha com uma projeção de crescimento do setor da ordem de 8% em 2018. Dá seis vezes o aumento do PIB previsto para este ano.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

17.10.18
ED. 5975

Sístoles e diástoles

A rede varejista sueca Ikea, que há dois anos ensaia sua entrada no Brasil, já teria fechado a compra de um terreno em São Paulo para, enfim, instalar sua primeira loja de móveis no país.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

17.10.18
ED. 5975

O jeito Zema de ser

Se as decisões do empresário Romeu Zema servem de proxy para seu eventual governo, Minas Gerais já pode ir se preparando para tempos de sangue, suor e lágrimas. Em dois anos, a rede varejista Zema, controlada pelo candidato, fechou 60 lojas e demitiu quase três mil pessoas. Ao mesmo tempo, tem apertado os fornecedores, impondo períodos mais longos para o pagamento.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

17.10.18
ED. 5975

Carrapato

João Doria ficou sem o tão aguardado encontro com Jair Bolsonaro, mas não se dá por vencido. Tenta a todo custo gravar, ainda nesta semana, um depoimento do Capitão em apoio a sua candidatura ao governo de São Paulo para usar no programa eleitoral.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

17.10.18
ED. 5975

Ponto final

As seguintes empresas não retornaram ou não comentaram o assunto: Caixa Econômica, Mubadala e CJ CheilJedang.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.