Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

Planos
10.10.18
ED. 5971

Velho Chico vira “cabo eleitoral” de Fernando Haddad

A campanha de Fernando Haddad vai navegar pelo Velho Chico. O petista pretende anunciar ao longo da próxima semana um grande projeto voltado à conclusão das obras de transposição do São Francisco. A ideia é transformar a apresentação da proposta em uma efeméride eleitoral, com uma caravana percorrendo diversas cidades da região, a começar por Bahia e Pernambuco. Haddad pretende fazer barulho ao garantir um investimento da ordem de R$ 8 bilhões e a promessa de geração de mais de 20 mil empregos diretos no período de dois anos. Desde o governo Lula, cerca de R$ 10 bilhões já irrigaram o projeto em seus mais diversos trechos, mas nos últimos meses o manancial financeiro secou. O PT está empenhado em espremer ainda mais o sumo do seu maior colégio eleitoral. No último domingo, Haddad obteve 51% dos votos do Nordeste. Trata-se de um índice expressivo, mas inferior aos quase 60% amealhados por Dilma Rousseff no primeiro turno em 2014 – é bem verdade que ela não teve um oponente com apelo na região, como no caso de Ciro Gomes neste ano. Na tentativa de compensar a limitada performance no Sul, Sudeste e Centro-Oeste, o partido considera fundamental não apenas avançar sobre os 4,9 milhões de votos obtidos por Ciro entre os nordestinos, mas também sobre os 7,5 milhões de eleitores de Bolsonaro na região. Se há uma área na qual os petistas acreditam ser possível converter uma parcela razoável de “bolsonaristas” é no Nordeste.

Por falar em Fernando Haddad, o petista voltou de Curitiba, na última segunda-feira, decidido a conversar pessoalmente com Fernando Henrique Cardoso ainda nesta semana. Haddad não se convenceu com a negativa de apoio ao PT feita por FHC no mesmo dia. O petista ouviu a declaração como uma das tantas matreirices do “Príncipe”, algo como “quem precisa de votos que venha a mim”. Pois Haddad precisa e irá. Esta seria a primeira vez que PT e PSDB se colocariam do mesmo lado na disputa presidencial desde 1989, quando os tucanos apoiaram Lula no segundo turno.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

10.10.18
ED. 5971

Trem pagador

O RR apurou que o Bank of China tem cerca de US$ 2 bilhões na ponta da agulha para financiar projetos de infraestrutura no Brasil, notadamente no setor ferroviário. O problema é a falta de tomador. O ocaso do programa de concessões do governo Temer empurrou
empreendimentos como a NorteSul e a Ferrogrão para 2019.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

10.10.18
ED. 5971

Na torcida

Eliseu Padilha torce, como poucos, pela reeleição do emedebista José Ivo Sartori. Para Padilha, vale uma secretaria no governo gaúcho e a manutenção do foro privilegiado em 2019.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

10.10.18
ED. 5971

Campo minado

Há um choque de egos no QG de campanha de Jair Bolsonaro. Mal chegou, egresso do PSDB, Xico Graziano já disputa espaço com o ruralista Frederico D´Ávila como a principal ponte entre Bolsonaro e o agronegócio. O que está em jogo é a futura indicação para o Ministério da Agricultura.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

10.10.18
ED. 5971

Palocci afunda ainda mais a Sete Brasil

O disclosure da delação de Antonio Palocci, em que o ex-ministro descortina o esquema de propinas envolvendo a Sete Brasil, pode ser a gota d´água para a empresa. As acusações vêm à tona justo no momento em que a companhia costura um aporte de capital com investidores asiáticos, condição sine qua nom para a conclusão ao menos de quatro das 17 sondas originalmente encomendas. Ao mesmo tempo, a Sete Brasil está no meio de uma intrincada negociação com os credores na tentativa de aprovar seu plano de recuperação judicial. A proposta sobre a mesa prevê um haircut praticamente de máquina zero, com o corte de até 90% da dívida total, na casa dos R$ 18 bilhões.

Por falar em Sete Brasil, o estaleiro Jurong deverá vender como sucata duas sondas encomendas pela empresa, que tiveram sua produção interrompida. Ambas estavam orçadas em quase US$ 1 bilhão.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

10.10.18
ED. 5971

Metrô parado

A transferência da participação da OAS na Invepar para os credores da empreiteira não deve alterar o script traçado por Previ, Petros e Funcef, donos de 75% da empresa. Por ora, a venda do controle da holding de concessões de transporte está congelada. O período eleitoral e a iminência de um novo governo só servem para pressionar o valuation da Invepar, que atua em um setor extremamente regulado.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

10.10.18
ED. 5971

Eduardo Paes à espera do próximo ônibus

No acordo que fez para se afastar da vice-presidência da BYD Motors, fabricante de carrocerias de ônibus chinesa, Eduardo Paes deixou a porta entreaberta para um possível retorno à companhia em caso de derrota na eleição ao governo do Rio. A julgar pelo resultado do primeiro turno, fez bem

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

10.10.18
ED. 5971

Candidato com cheiro de pólvora

Candidato à reeleição, o governador do Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), pretende se credenciar como uma espécie de “Bolsonaro do Pantanal”. Azambuja, que já declarou apoio ao Capitão, vai calcar sua campanha no segundo turno em um duro discurso de combate à “bandidagem”. O governador pretende usar como moeda eleitoral a possibilidade de convocação da Força Nacional de Segurança para atuar contra a entrada de drogas e armas no estado. De acordo com os serviços de Inteligência do Exército e da Polícia Federal, as cidades de Ponta Porã, na fronteira com o Paraguai, e Corumbá, divisa da Bolívia, figuram entre as cinco principais rotas de ingresso de armamento e cocaína no Brasil.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

10.10.18
ED. 5971

Energia limpa

A chinesa Jiangsu Communication Clean Energy Technology (CCETC) planeja investir cerca de US$ 1 bilhão em energia renovável no Brasil. O grupo já tem um pé no país, na produção de “energia suja”: está construindo duas térmicas a diesel na Bahia, ao custo de R$ 400 milhões.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

10.10.18
ED. 5971

“Agrotech”

A Cargill está financiando um cinturão de startups no Brasil voltadas ao desenvolvimento de tecnologias para a produção de sementes e defensivos agrícolas. Os investimentos se concentram na Região Sul.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

10.10.18
ED. 5971

O silêncio dos aliados

A exemplo do que já fez com Paulo Guedes e seu vice, General Mourão, Jair Bolsonaro decretou lei do silêncio para Janaína Paschoal. Em sua primeira entrevista como deputada estadual eleita, Janaína irritou o núcleo duro da campanha ao defender o sistema de cotas nas universidades e atacar o aumento do número de ministros no STF, bandeira hasteada pelo Capitão.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

10.10.18
ED. 5971

Desconexão França

Na última segunda-feira à noite, o petista Luiz Marinho, derrotado nas eleições em São Paulo, conversou longamente com Marcio França em busca de apoio do governador à candidatura de Fernando Haddad. Em vão.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

10.10.18
ED. 5971

Ponto final

Procuradas, as seguintes empresas não retornaram ou não comentaram o assunto: Sete Brasil, Jurong, CCETC e Cargill.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.