Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

Planos
27.09.18
ED. 5962

Caixa Seguridade põe suas apólices sobre o balcão

Na reta final do governo Temer, a Caixa Econômica joga os dados da reestruturação societária da sua operação de seguros. Após estender a parceria com a CNP Assurance nas áreas de vida e previdência até 2041, o banco estaria em negociações com a chinesa Fosun e a Tokio Marine para a venda de uma participação nas carteiras de veículos, habitacional e risco patrimonial. A estimativa da CEF é arrecadar algo entre R$ 3,5 bilhões e R$ 4 bilhões. Segundo informações filtradas da própria instituição financeira, o modelo original previa a oferta em conjunto das três carteiras, no entanto a diretoria da Caixa trabalha com a hipótese de acordos em separado devido aos diferentes níveis de atratividade de cada negócio. A operação de seguro habitacional, por exemplo, movimentou R$ 2,3 bilhões em prêmios no ano passado. Já a carteira de veículos, uma atividade ainda razoavelmente incipiente no banco, somou aproximadamente R$ 360 milhões. O governo Temer tem se notabilizado por dar uma atenção especial à área de seguros e aos negócios da Caixa nesse setor. A Susep, por exemplo, tornou-se um cluster muito bem protegido, entregue ao PSD de Goiás. Por sinal, ao menos em um episódio o partido teve um papel importante na alavancagem da operação de seguros do banco estatal. Consta que parlamentares da sigla ajudaram a convencer a Susep a autorizar que a Youse, balcão eletrônico da própria Caixa, passasse a atuar também como seguradora digital. À época, houve forte pressão pela demissão do superintendente do órgão regulador, Joaquim Mendanha de Ataídes – ver RR edição de 7 de novembro de 2017. O deputado federal Lucas Vergílio (SD-GO), filho de Armando Vergílio, presidente da Fenacor, apaziguou os ânimos.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

27.09.18
ED. 5962

Os jazigos imobiliários de Eike

Eike Batista não destruiu somente o Hotel Gloria. O histórico prédio da revista O Cruzeiro, localizado na rua do Livramento, no bairro da Gamboa, encontra-se caindo aos pedaços. Assim como o Gloria, sem nenhum alarde Batista comprou o imóvel pertencente aos Diários Associados com objetivo de criar um corredor ligando-o ao Porto Maravilha, na região do cais do porto. Como o dinheiro sumiu, o ex-miliar-dário pulou fora do projeto, assim como tinha feito com a antiga sede do Flamengo, na região do Aterro. O edifício é um espigão somente superado, na região, em número de andares, pelo antigo prédio da Rádio Nacional, na Praça Mauá. Abandonado, ele tem sido invadido por sem-teto. As salas de um dos símbolos do poder empresarial no Rio de Janeiro estão completamente destruídas.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

27.09.18
ED. 5962

Navalha na carne

A gestão Pedro Parente está levando o varejo ao estresse. A BRF tem adotado uma postura agressiva nas negociações com as redes supermercadistas, apertando os prazos de pagamento, que, em alguns casos, passavam dos 90 dias. Na visão de Parente, a companhia vinha sendo demasiadamente generosa com os varejistas, entre os quais o Carrefour, de Abilio Diniz.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

27.09.18
ED. 5962

Tango desafinado

Os Setúbal e os Moreira, donos da Alpargatas, pretendem deixar de vez o mercado de material esportivo na Argentina. O acordo de venda de 28% da Topper no país vizinho para o empresário Carlos Wizard prevê a transferência integral do controle até 2021. No entanto, no que depender das duas famílias, esse jogo, de placar já conhecido, será jogado logo em 2019. As margens do negócio não fazem jus às grifes Setúbal e Moreira Salles.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

27.09.18
ED. 5962

Paranapanema faz sua caça às bruxas

Há cobre e propina no subsolo da Paranapanema. O RR apurou que investigações conduzidas pela própria companhia mínero metalúrgica indicam o envolvimento de ao menos três ex-dirigentes no esquema de pagamento de suborno a integrantes do Carf (Conselho Administrativo de Recursos Fiscais). A devassa, conduzida com o auxílio de consultores externos, deverá ser oficialmente concluída no mês que vem. No entanto, a empresa já teria encaminhado informações preliminares ao Ministério Público e à Polícia Federal no âmbito da Operação Zelotes, que investiga a venda de sentenças no Carf. Os nomes fisgados na auditoria interna são guardados a sete chaves pela alta direção da Paranapanema. Cabe lembrar que, no início de agosto, Luiz Antônio de Souza Queiroz Ferraz Junior, presidente da empresa entre maio de 2005 a dezembro de 2012, foi alvo da 10a fase da Operação Zelotes. De acordo com a fonte do RR, o passo seguinte da Paranapanema será acionar judicialmente os ex-executivos -medida que já teria o sinal verde de Petros e Previ, principais acionistas da companhia. Procurados pelo RR, a Paranapanema e os fundos de pensão não se pronunciaram.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

27.09.18
ED. 5962

A segunda dose do Blau

O empresário Marcelo Hahn faz planos de retomar o IPO do laboratório farmacêutico Blau no primeiro trimestre de 2019. As conversas com bancos de investimentos já foram reiniciadas. A abertura de capital estava prevista para este ano, mas incertezas políticas e a falta de demanda inviabilizaram a operação. Consultada, a empresa não confirma a data. Diz que o IPO “dependerá do apetite do mercado”.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

27.09.18
ED. 5962

“Xou do Ciro”

Marlene Mattos, que fez fama como diretora dos programas da Xuxa e coordena a propaganda do candidato do PDT ao governo de São Paulo, Marcelo Cândido, entrou também na campanha de Ciro Gomes. Uma de suas missões será organizar um grande evento com a presença de artistas que apoiam Ciro na próxima semana, provavelmente em São Paulo.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

27.09.18
ED. 5962

Derrota alheia

ACM Neto está praticamente em férias eleitorais. De um lado, reduziu sua participação em encontros e eventos de campanha de Geraldo Alckmin; do outro, já deixou de lado a candidatura de José Ronaldo (DEM) ao governo da Bahia. São duas derrotas iminentes que o neto de “Toninho Malvadeza” quer deixar longe da sua biografia política.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

27.09.18
ED. 5962

Safra de petrodólares

O fundo Qatar Investment Authority (QIA) tem mantido conversações com os governos do Mato Grosso do Sul e do Mato Grosso. Em pauta, um pacote de investimentos na produção de grãos e na construção de estruturas de armazenagem. O objetivo da QIA é descarregar proteína no Oriente Médio.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

27.09.18
ED. 5962

Cizânia

A cizânia entre Geraldo Alckmin e João Doria chegou às respectivas primeiras-damas. Lu Alckmin e Bia Doria romperam uma amizade de longa data.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

27.09.18
ED. 5962

Porta fechada

Com 3% nas pesquisas, Alvaro Dias foi sondado nesta semana pelo PSL sobre a hipótese de retirar sua candidatura e apoiar Jair Bolsonaro no primeiro turno. O emissário de Bolsonaro foi o Major Olímpio, colega de Dias no Congresso Nacional. Voltou para o PSL com um “não”.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

27.09.18
ED. 5962

Ponto final

As seguintes empresas não retornaram ou não comentaram o assunto: Caixa Seguridade, Tokio Marine, Fosun, Alpargatas e BRF.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.