Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

Planos
19.09.18
ED. 5956

Abílio Diniz é o ministro da Fazenda dos sonhos de Fernando Haddad (e de Lula)

Fernando Haddad já encontrou a pedra filosofal do seu governo. Abílio Diniz vem sendo sondado para assumir o Ministério da Fazenda na eventual gestão do petista. Como tudo que diz respeito à candidatura Haddad, o ex-presidente Lula tem papel determinante na escolha, da qual é o avalista-mor. As tratativas, ressalte-se, passam à margem do atual comando do PT. São conduzidas pelo núcleo central da articulação política de Haddad, em sua maioria assessores herdados do próprio Lula. Sob os mais diversos aspectos, a eventual indicação de Abílio para a Fazenda é tratada pelo entorno do candidato petista como um dos grandes achados de sua campanha – guardadas as devidas proporções, algo similar ao que a presença de Paulo Guedes representa para a candidatura de Jair Bolsonaro.

Procurados, Fernando Haddad e Abílio Diniz não quiseram se pronunciar. É bem verdade que outros nomes têm rodado o entorno de Fernando Haddad como potenciais comandantes da economia no governo petista, entre eles o de Marcos Lisboa, secretário executivo do Ministério da Fazenda no primeiro mandato de Lula. Lisboa, no entanto, é um peso-pena se colocado na balança ao lado de Abílio Diniz. O ex-Pão de Açúcar seria um ministro turn key, um combo completo. Ao escolhê-lo, Haddad levaria no mesmo pacote staff, interlocução com o empresariado, simpatia da mídia e, sobretudo, doses hectolítricas de credibilidade. A eventual “nomeação” de Abílio Diniz para a Fazenda antes das eleições – hipótese cogitada no QG de campanha de Haddad –, teria o condão de atrair a confiança do mercado, inclusive no exterior.

Abílio é um personagem do mundo, membro do board do Carrefour em Paris. Algo que os principais assessores econômicos do PT – como Guilherme Mello, Marcio Pochmann, Ricardo Carneiro e Luiz Gonzaga Belluzzo –, além do próprio Marcos Lisboa, estão longe de conseguir, sem qualquer demérito à trajetória de cada um. Abílio seria o avalista do compromisso do governo Haddad com o ajuste fiscal e a realização das reformas estruturantes. Além disso, o petista teria ao seu lado um empresário puro-sangue do setor real, em contraponto aos financistas que cercam os demais candidatos à Presidência. Ressalte-se ainda que a indicação de Abílio significaria a presença de um nome sem máculas na Pasta da Fazenda, algo que ganha ainda mais relevância em se tratando de um partido que tem dois ex-titulares do cargo fisgados pela Lava Jato – Antonio Palocci e Guido Mantega. Para Abílio Diniz, a nomeação para o Ministério da Fazenda seria a coroação de sua trajetória, a pedra preciosa que falta em sua cravejada biografia. Ressalte-se que Abílio, não é de hoje, flerta com a vida pública, notadamente na era petista.

Caso raro de empresário que nunca “tucanou”, esteve cotado para assumir a Fazenda no segundo mandato de Dilma Rousseff. Sua relação com Lula sempre foi a melhor possível. Em entrevista ao Estado de S. Paulo, em 2010, ele se declarou “fã de carteirinha” do então presidente da República. No fim de 2011, quando o petista esteve internado no Sírio-Libanês para tratar de um câncer, o ex-dono do Pão de Açúcar o visitou. Segundo testemunhas, foi um encontro repleto de mesuras de parte a parte. A idade não seria um obstáculo para Abílio Diniz assumir o manche da economia. Suas condições físicas são excelentes. Como ele próprio costuma dizer, desde os 29 anos ele se preparava para chegar aos 80. Abílio teria o vigor necessário para tourear o Congresso, negociar as reformas e, sempre que necessário, matar no peito e trazer para a sua responsabilidade agendas extremamente desgastantes. Um exemplo: ele já defendeu abertamente a elevação da carga tributária: “Se a atividade econômica cresce, aumenta a receita. Enquanto não cresce, tem de aumentar o imposto. Quem disser o contrário, é hipocrisia”.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

19.09.18
ED. 5956

Esquece o Meirelles

O MDB do Nordeste não chamou o Meirelles. Todos os quatro candidatos do partido a governos da região têm ignorado o presidenciável. Renan Filho (Alagoas) e Roseana Sarney (Maranhão) são os mais radicais: não há vestígio de Henrique Meirelles no material de campanha de ambos. O mais incrível é que, ainda assim, Meirelles aparece nas pesquisas com 3% das intenções de voto no Nordeste, o mesmo índice da sua performance nacional.

Justiça seja feita, o eclipse eleitoral no Nordeste não é privilégio de Meirelles. Os candidatos aos governos do Ceará, o tucano General Teophilo, e da Bahia, o aliado do PSDB Zé Ronaldo, do DEM, só faltam dizer que não conhecem Geraldo Alckmin nem de nome.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

19.09.18
ED. 5956

A fintech da Luiza

Luiza Helena Trajano vai ter sua própria fintech. O Magazine Luiza trabalha na criação de uma plataforma financeira digital. O projeto é conduzido diretamente por Frederico Trajano, herdeiro e CEO do grupo.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

19.09.18
ED. 5956

Lagardère quer o Maracanã

A francesa Lagardère já fez chegar a Eduardo Paes, líder nas pesquisas para o governo do Rio, seu interesse em assumir a concessão do Maracanã. Há cerca de duas semanas, a 9a Vara de Fazenda Pública anulou o contrato com a atual concessionária apontando ilegalidades na licitação, o que, em tese, forçaria a necessidade de uma nova concorrência pública. O problema é que essa é uma bola que deverá ficar quicando nos tapetões do Judiciário por longo tempo.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

19.09.18
ED. 5956

O pato manco e a águia doida

O Itamaraty ainda tenta confirmar um encontro reservado entre Michel Temer e Donald Trump no próximo fim de semana, quando o presidente brasileiro estará em Nova York para participar da assembleia geral da ONU. Por ora, no entanto, não tem encontrado reciprocidade da parte da diplomacia norte-americana.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

19.09.18
ED. 5956

Cimento africano

A Camargo Corrêa abriu conversações para a venda de até 40% de sua operação cimenteira na África. Sobre a mesa, fábricas no Egito, África do Sul e Moçambique. Um dos principais candidatos é a nigeriana Dangote. A companhia pertence a Alhaji Aliko Dangote, o homem mais rico de seu país. Sua fortuna é estimada em US$ 12 bilhões.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

19.09.18
ED. 5956

Você esfola daí que eu fuzilo daqui

Jair Bolsonaro vai gravar um vídeo agradecendo pela manifestação de apoio do jogador Felipe Mello, do Palmeiras. A julgar pelo trackrecords da dupla, será algo na linha “Você esfola daí que eu fuzilo daqui”.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

19.09.18
ED. 5956

Reanimação hospitalar

O grupo cearense Hapvida, que amealhou recentemente R$ 3 bilhões com o seu IPO, estuda assumir o Hospital Espanhol, de Salvador. A unidade está fechada desde 2014, com dívidas da ordem de R$ 150 milhões.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

19.09.18
ED. 5956

Cobertor curto

A argentina Los Grobo estaria se desfazendo de propriedades rurais no Centro-Oeste para cobrir prejuízos em sua terra natal.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

19.09.18
ED. 5956

Ponto final

Procuradas, as seguintes empresas não retornaram ou não comentaram o assunto: XXXXXXX.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.