Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

Planos
13.08.18
ED. 5930

Advent busca solução orgânica para os prejuízos do Walmart

A nova direção do Walmart Brasil, à frente o ex-Carrefour Luiz Fazzio, está debruçada sobre um projeto por ora guardado a sete chaves e restrito a não mais do que meia dúzia de executivos. Segundo o RR apurou, a rede varejista planeja criar uma nova bandeira para o mercado brasileiro, voltada à venda de produtos orgânicos. Estima-se que o investimento passe dos US$ 200 milhões. Será a primeira medida mais aguda da era Advent, que comprou o controle do Walmart no país. Ao lado dos investimento no “atacarejo”, será a grande aposta dos norte-americanos para reduzir os prejuízos do negócio no país. Para os norte-americanos, a nova rede terá dupla valia. A primeira delas é entrar em um mercado estratégico que já está no radar da concorrência. O próprio Carrefour, que acaba de comprar uma das maiores redes de produtos orgânicos da Europa, já anunciou a criação de espaços exclusivos para o segmento dentro de suas lojas. Ao mesmo tempo, a nova diretoria do Walmart Brasil vislumbra uma solução para algumas das lojas deficitárias no país – e não são poucas. A ideia é que a nova bandeira, formada por lojas compactas, ocupe áreas nos hipermercados do grupo.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

13.08.18
ED. 5930

João Doria ergue uma barricada nas redes sociais

João Doria está se armando até os dentes para uma guerra digital, com munição de alto calibre tanto no campo do marketing eleitoral quanto na esfera jurídica. Além do reforço do seu staff de comunicação, Doria fechou a contratação de um pelotão de especialistas em direito digital, capitaneado pelo advogado Renato Opice Blum – considerado o papa do tema no Brasil. Com a primazia do tucano no rádio e TV – mais do que o dobro do tempo de seu principal concorrente ao governo de São Paulo, Paulo Skaf –, os estrategistas de Doria consideram que a ameaça virá das redes sociais.

Seus assessores preveem uma enxurrada de ataques ao candidato, com uma profusão de fake news – e outras nem tanto. A campanha à Prefeitura de São Paulo é um case vivo na memória de todos. Na ocasião, até pela posição de liderança nas pesquisas, o tucano foi bombardeado na internet. Seus assessores dão como certo o recrudescimento da acusação de que Doria se apropriou indevidamente de um terreno contíguo a sua casa em Campos do Jordão – a Justiça determinou a devolução da área à Prefeitura, que, então, a vendeu ao próprio Doria.

Uma das missões da tropa de advogados de João Doria será evitar a viralização de informações referentes à vida pessoal e ao patrimônio do candidato, alvo contumaz de seus adversários. Na disputa pela Prefeitura de São Paulo, por exemplo, as redes sociais foram invadidas por fotografias da mansão de Doria no Jardim Europa. Meses depois, já eleito, conseguiu na Justiça retirar as imagens de circulação e excluir as menções ao seu endereço no serviço Google Maps, alegando questões de segurança. A principal ameaça vem do Twitter, atualmente a única das empresas de mídia social que ainda resiste a demandas judiciais para a retirada de conteúdo considerado ofensivo ou informações publicadas por autores anônimos.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

13.08.18
ED. 5930

O capitão é pop

O PSL, de Jair Bolsonaro, foi a sigla que mais recebeu filiados no primeiro semestre de 2018. Foram 13 mil fichas assinadas, nove mil a mais do que a soma obtidas por todos os demais partidos. Mais de 90% das adesões se deu depois de março, quando Bolsonaro chegou ao PSL.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

13.08.18
ED. 5930

Fundo partidário

Henrique Meirelles não faz economia em sua candidatura. Contratou o publicitário Daniel Braga, ex-João Doria, para cuidar de sua campanha nas redes sociais. A bolada deve ter sido boa: o marqueteiro abriu mão de quase todos os demais clientes.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

13.08.18
ED. 5930

Quem dá mais pelo Podemos e pelo PSC?

Sob uma ótica pragmática, a aliança entre o Podemos, de Álvaro Dias, e o PSC, de Paulo Rabello de Castro, é tratada nos dois partidos como preâmbulo de uma operação de “M&A eleitoral” ainda maior. Não obstante o recente e até inesperado crescimento de Dias nas pesquisas, líderes das duas legendas enxergam a coalizão como uma forma de engordar o gado e aumentar o cacife à mesa de negociações. O passo seguinte seria o apoio conjunto do Podemos e do PSC a uma candidatura do mainstream, notadamente a do tucano Geraldo Alckmin. Sobre a mesa, 36 segundos de tempo de TV – o equivalente a quatro “Bolsonaros” –, além dos 4% de Dias nas últimas pesquisas eleitorais. São ativos de valor. A pressão maior pela consolidação com os tucanos vem do Pastor Everaldo, o líder do rebanho do PSC. A ideia é liberar os recursos do fundo partidário para financiar exclusivamente o aumento da bancada da legenda no Congresso. Contando-se apenas os parlamentares do PSC que tentarão a reeleição, são R$ 37 milhões a serem divididos entre nove congressistas. No caso do Podemos, o aperto financeiro é ainda maior: R$ 34 milhões, que, em sua maioria, serão rateados na campanha à reeleição de 16 deputados e um dos cinco senadores da legenda, cujo mandato termina neste ano.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

13.08.18
ED. 5930

Só falta a Anatel

As operadoras de telefonia aceleram os investimentos para a montagem da sua plataforma 5G no Brasil. A Vivo, por exemplo, está desembolsando mais de R$ 1 bilhão no projeto. Segundo o RR apurou, a companhia quer chegar ao fim de 2019 com capacidade para oferecer a nova tecnologia em quase mil municípios. Tudo muito bom, tudo muito bem, mas o problema é a Anatel: por ora, não há prazo definido para a licitação da faixa de 3,5 GHz, condição sine qua nom para a implantação do 5G.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

13.08.18
ED. 5930

Pratos separados

Os fundos de pensão e a Tarpon já deram sinal verde para a BRF vender o restante das ações da Minerva Foods que ainda estavam em seu poder. É o golpe de misericórdia nas negociações para a fusão entre as duas empresas, que uniam investidores como Rubens Ometto e o fundo árabe Salic.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

13.08.18
ED. 5930

Dupla interpretação

Grandes fabricantes de eletroeletrônicos como LG têm aumentando o crédito concedido a redes varejistas. Em alguns casos, o financiamento de estoques já é 45 dias superior à média registrada em meados de 2017. Pode ser um bom sinal. Ou não.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

13.08.18
ED. 5930

Freelancer

O ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, tem falado a torto e a direito como um dos articuladores políticos da campanha de Henrique Meirelles, que, por sua vez, dispensa a colaboração.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

13.08.18
ED. 5930

Fantasmas do passado

Fantasmas do passado ameaçam visitar Fernando Collor de Mello, recém-lançado candidato ao governo de Alagoas. Emissários de sua ex-mulher, Rosane Malta, já procuram a imprensa para disparar inconfidências contra o ex-presidente.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

13.08.18
ED. 5930

Ponto final

Procuradas pelo RR, as seguintes empresas não retornaram ou não comentaram o assunto: Walmart Brasil, Vivo e LG.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.