Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

Planos
26.07.18
ED. 5918

State Grid é o yakisoba da BTG

A State Grid está experimentando o gosto amargo de ter o BTG Pactual no colar de acionistas minoritários da CPFL renováveis. O banco, através de práticas heterodoxas, estaria atiçando a discórdia e tentando manipular o preço da OPA da CPFL Renováveis. No mais recente capítulo dessa novela, os “acionistas minoritários” da CPFL Renováveis solicitaram à State Grid que usasse o valor médio ponderado da ação para determinar o preço da OPA da companhia, pedido que já tinha sido recusado pela diretoria da CVM.

No processo apresentado, anteriormente, pela State Grid à CVM na discussão anterior, o grupo chinês enfatizava sua discordância em considerar o preço da ação porque a participação da CPFL Renováveis é extremamente ilíquida, alegando que um acionista dominou 99% do volume total de negociação da CPFL Renováveis, através da negociação de ações entre diferentes entidades controladas por esse acionista. Os ditos “acionistas que controlam 99% do volume de negócios” têm, de fato, um único nome: BTG Pactual. O banco é o acionista minoritário esmagadoramente hegemônico na luta contra a State Grid. O expressivo volume identificado pelos chineses de negociações se deveu principalmente à transação entre dois fundos controlados pelo BTG, em 12 de maio de 2016.

Essa negociação foi feita a um valor em torno de R$ 12,98 por ação, aproximadamente 10% acima do preço de mercado vigente à época e 19% acima do preço de fechamento de R$ 10,90 por ação. A operação foi realizada no momento em que a State Grid anunciou a aquisição do controle da CPFL Energia, em 2 de julho de 2016. Segundo a fonte do RR, a State Grid está considerando entrar com uma investigação legal contra a manipulação de mercado por parte do BTG, se a alegação dos acionistas minoritários de considerar o preço de mercado for apoiada pela CVM. Se for esse o próximo capítulo, o drama do preço da OPA da CPFL Renováveis aumentará ainda mais.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

26.07.18
ED. 5918

Um pequeno sinal de autocrítica no PT

Surgem os primeiros sinais de defecção da “Igreja lulista de imolação da esquerda”. O sociólogo Emir Sader, um dos mais graníticos intelectuais fundamentalistas do PT, tem externado a opinião de que é preciso pensar em seguir na campanha eleitoral sem Lula. “Pensar” já é um início.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

26.07.18
ED. 5918

Faltam 91 dias

A Boeing e a Embraer decidiram seguir “piano piano” o seu projeto. Está tudo pronto para a aquisição da companhia nacional. Mas é prudente atravessar o mês de outubro.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

26.07.18
ED. 5918

Lawrence

João Doria tem um novo apelido entre seus correligionários: Lawrence da Arábia. Sabe-se lá o porquê da alcunha. Cartas para a redação.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

26.07.18
ED. 5918

Mão aberta

A campanha presidencial ainda nem começou e o ex-ministro da Fazenda, Henrique Meirelles (MDB), já gastou, em um só dia, R$250 mil com a sua estrutura de pré-campanha. O valor representa 0,025% da sua fortuna de R$ 1 bilhão.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

26.07.18
ED. 5918

Azeite e vinagre

O ex-diretor do BNDES, Darc Costa, estaria flertando com o capitão Jair Bolsonaro. Darc, que era apelidado no banco de Darth Vader, é egresso dos quadros da Escola Superior de Guerra (ESG). É difícil, contudo, imaginar qualquer análise combinatória com Darc, o embaixador informal da Bolívia e Venezuela no Brasil, e Paulo Guedes, o coordenador da campanha de Bolsonaro.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

26.07.18
ED. 5918

O Bem-amado Ilan Goldfajn

Já somam três os presidenciáveis favoráveis à manutenção de Ilan Goldfajn à frente do Banco Central. Integram o bloco pró-Ilan Geraldo Alckmin, Henrique Meirelles e Jair Bolsonaro – apud Paulo Guedes. A permanência do atual presidente do BC se encaixaria também nos planos de Marina, o “poste de Lula” e Ciro Gomes, em ordem decrescente de entusiasmo com a ideia.

Os três candidatos da centro-esquerda utilizariam o prosseguimento do mandato de Ilan como um recado ao mercado sobre a disposição de dar continuidade à política monetária de ancoragem da inflação. É difícil Ilan aceitar a proposta dos candidatos da direita. É dificílimo topar qualquer convite da esquerda. No entanto, não se pode desprezar fatores como ambição, vaidade e vontade de poder na combinação de elementos que levarão à escolha.

A princípio Ilan quer cumprir a quarentena e retornar ao seu cantinho de economista-chefe do Banco Itaú, certamente com o passe mais valorizado. O presidente do BC é extremamente bem visto pelo mercado. Mas não é consenso entre os economistas. Há uma corrente que o crítica por ter sido hawkish em um momento desnecessário, quando a inflação já embicava para baixo. Alguma parcela da lentidão da recuperação econômica estaria debitada na sua conta. Ilan foi responsável pela ancoragem firme das expectativas e manutenção implacável da inflação dentro da meta. Com a sua política de juros foi também causador de alguns milhões de desempregados que vagam desesperançosos à procura de uma ocupação. A história julgará se suas decisões foram acertadas.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

26.07.18
ED. 5918

Lula diz até onde Haddad pode falar

Apontado como plano B do PT na disputa presidencial, o ex-prefeito Fernando Haddad foi orientado diretamente por Lula a procurar a imprensa e conceder o maior número possível de entrevistas sobre o plano de governo, que está pronto. Mas a orientação veio com uma ressalva: não falar sobre estratégias e evitar exercícios de futurologia. A ordem é evitar crises de ciúme com as correntes do PT.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

26.07.18
ED. 5918

Vale a pena ver de novo?

Quem esteve no Rio na semana passada foi o ex-presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli, participando de evento no Sinaval, com representantes de estaleiros. Gabrielli, que é coordenador geral da campanha de Lula à presidência, teria dito que a Petrobras, em um novo governo petista, seria a âncora para a retomada das encomendas junto aos estaleiros.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

26.07.18
ED. 5918

Com açúcar e com afeto

A Cacau Show e a Kopenhagen, dois adversários figadais, estariam prestes a juntar seus chocolates. As lojas somadas das duas empresas chegam a quase 2.400. Consultada, a Cacau Show nega.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

26.07.18
ED. 5918

Sal grosso

O diretor da Fiesp, Paulo Francini, apelidado de Mr. Apocalipse, piorou ainda mais suas previsões para este ano. Já estima um crescimento do PIB entre 0,5% e 1%. Vade retro!

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

26.07.18
ED. 5918

Mau exemplo

Dos PACs de Dilma Rousseff só sobraram escombros. Apenas 17% das obras previstas foram concluídas.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.