Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

Planos
20.06.18
ED. 5892

Advent e Lojas Americanas disputam aquisição da BR Mania

Advent e Jorge Paulo Lemann, que concorreram à compra do Walmart Brasil, têm um novo duelo marcado no varejo brasileiro. Segundo o RR apurou, a gestora de private equity entrou na disputa pela aquisição da BR Mania, a rede de lojas de conveniência da BR Distribuidora. Seu principal oponente é a Lojas Americanas, do trio Lemann, Marcel Telles e Beto Sicupira, que, segundo a mesma fonte, mantém conversações com a estatal há aproximadamente dois meses. A BR Mania é avalia- da em cerca de R$ 800 milhões. As negociações envolvem o spinoff da operação e a transferência de uma participação majoritária.

A BR Distribuidora permaneceria com parte do capital, além de assegurar, em contrato, a exclusividade na “hospedagem” da rede de conveniência: ou seja, o futuro controlador só poderá abrir novas lojas com a bandeira BR Mania em postos da estatal. O Advent ganhou o primeiro round, ao fechar a aquisição de 80% do Walmart Brasil, uma disputa que, a rigor, se encerrou antes do capitulo final. O 3G Capital – de Lemann e cia. – desistiu do negócio antes mesmo de apresentar uma proposta ao grupo varejista. Desta vez, no entanto, tudo indica que o duelo irá até o fim.

Advent e Americanas acenam com projetos distintos para a BR. A rede varejista mira a expansão da operação física, apostando na similitude de conceito com suas lojas compactas – a BR Mania seria uma espécie de Americanas Express dos postos de gasolina. Já o Advent teria como ponto cardeal do seu projeto a entrada da BR Mania no e-commerce. Os cortes de investimento da Petrobras e a demora da estatal em decidir o que faria com a BR – venda do controle ou IPO, como de fato ocorreu – afetaram o negócio de conveniência do grupo. A BR Mania perdeu musculatura. O desafio do novo controlador é reduzir a desproporcional diferença que a separa da am/pm, a marca de conveniência da Ipiranga. Mesmo com os dois mil postos de combustíveis a mais, a estatal tem cerca de 1,3 mil lojas em todo o país. São quase mil pontos de venda a menos do que a rede da Ipiranga – a am/pm ultrapassa a marca de 2,2 mil lojas.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

20.06.18
ED. 5892

Tucanos na mira da CCR

O RR apurou que dois altos executivos da CCR estão em negociações para um acordo de delação com o Ministério Público de São Paulo. Ambos já teriam relatado aos procuradores um esquema de corrupção no Dersa, com doações ilegais para campanhas de Geraldo Alckmin, José Serra e Aloisio Nunes Ferreira, ou seja, a nata do PSDB paulista.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

20.06.18
ED. 5892

Cotizando

Parlamentares do PT estão se cotizando em um crowdfunding partidário para colaborar com o Instituto Lula. Só com a Receita as dívidas passam de R$ 18 milhões.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

20.06.18
ED. 5892

Homens do Baú

Com apenas 1% nas pesquisas, Henrique Meirelles costura sua participação no programa de Silvio Santos. Além de se apresentar a um público que praticamente desconhece sua existência, Meirelles pretende gerar “clipping” ao lado de figuras populares para exibir no seu programa eleitoral.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

20.06.18
ED. 5892

Candidatos à Presidência buscam o apoio das Forças Armadas em nome da governança

As Forças Armadas surgem no horizonte político como fiadores da democracia. Esta é a tendência apontada por dois dos pré-candidatos à Presidência, ouvidos por Insight Prospectiva – boletim exclusivo para assinantes editado pela Insight Comunicação. Consultados sobre a grave crise institucional que afeta o país, os dois presidenciáveis revelaram a disposição de fazer uma abordagem prévia junto aos militares em busca de uma colaboração mais próxima –ressalte-se, nenhum deles é o Capitão Jair Bolsonaro. Ambos pretendem estabelecer um canal de interlocução com as Forças Armadas em busca de amparo para garantir a governança do país a partir de 2019.

O comandante do Exército, general Villas Bôas, já antecipou a disposição dos candidatos em manter um contato com as Forças Armadas. Para evitar qualquer percepção de favorecimento, o comandante Villas Bôas vai democratizar o diálogo, conversando com todos os presidenciáveis – o primeiro deles será Fernando Haddad. Segundo as consultas feitas, há a percepção entre os candidatos de que os militares terão um papel determinante no restabelecimento da sintonia fina entre os Poderes da República. Esse entendimento, com um ambiente institucional sereno, daria ao futuro presidente o esteio necessário para promover as inevitáveis reformas. É importante fazer alguns esclarecimentos em cima da consulta aos candidatos.

O presidente da República, comandante em Chefe das Forças Armadas, não precisa adulá-las para obter sempre que for necessário o seu apoio, dentro dos limites da Constituição. Mas a grave situação institucional do país, a dificuldade para aprovação de medidas duras, mas necessárias, e a existência de “grupos de veto” cada vez mais fortes, que impedem ações estruturantes, fazem da articulação com os militares uma peça importante no tabuleiro político e da governança. Os candidatos à Presidência consultados enxergam, desde já, as Forças Armadas como uma espécie de “Poder Moderador”, que daria ao governo o suporte para conduzir, dentro dos estritos limites constitucionais, as medidas mais urgentes para terraplenar os caminhos da nação.

Não há dúvida que o check and balance dos Três Poderes está “desbalanceado” e que o Executivo foi se tornando refém do presidencialismo de coalizão e do “Judicialismo”. Esse apoio institucional fortaleceria o poder civil reformista. Os contatos feitos por Insight Prospectiva deixam evidente que os candidatos à Presidência da República procuram uma aproximação com as Forças Armadas também por identificarem no estamento militar um ator capaz de pensar o Estado latu sensu e de contribuir para a elaboração e execução de um grande projeto de reconstrução nacional. Os militares podem colaborar em soluções para a violência urbana – conforme já estão fazendo -, desenvolvimento tecnológico, comércio exterior e obras de infraestrutura, entre outras participações.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

20.06.18
ED. 5892

ProEcho na mira do Fleury

O Fleury tem interesse na aquisição da rede de laboratórios ProEcho, do Rio. A empresa pertence ao médico João Renato Silveira, ex-sócio de Edson Bueno, fundador da Amil. Procurada, a ProEcho confirma que “busca um sócio investidor”, mas garante que “seu controle não está à venda.”

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

20.06.18
ED. 5892

Amor com amor se paga

Na condição de presidente e dono do cofre do PSDB, Geraldo Alckmin promete ser generoso com os aliados. Antonio Anastasia, que disputa o governo de Minas Gerais e apoia a candidatura de Alckmin à Presidência deverá receber aproximadamente R$ 17 milhões em recursos do fundo partidário. Já João Doria, embora candidato ao governo do maior estado do país, ficará com metade desse valor.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

20.06.18
ED. 5892

“Viva Dirceu!”

Amigos de José Dirceu querem aproveitar o lançamento da auto-biografia do “Comandante”,depois da Copa, para organizar atos de desagravo ao ex-ministro. A ideia já foi levada à Geração Editorial, responsável pela obra.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

20.06.18
ED. 5892

Ponto final

As seguintes empresas não retornaram ou não comentaram o assunto: CCR, Advent, Americanas, BR Distribuidora e Fleury.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.