Atenção!

As notícias abaixo são de edições passadas.

Para ter acesso ao nosso conteúdo exclusivo, assine o RR.

Planos
10.07.17
ED. 5657

Rodrigo Maia já rascunha o seu Ministério

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, já está montando sua equipe de governo. Do time atual, somente Henrique Meirelles tem vaga garantida. No mais, Maia vai mudar um monte de nome nas demais pastas e praticamente todos os ministros palacianos, incluindo seu sogro Moreira Franco.

A exceção seria feita ao ministro chefe do GSI, General Sergio Etchegoyen, que, posteriormente, poderia ser promovido aos cargos de ministro da Defesa ou comandante do Exército. Seu pai, Cesar Maia, não integrará o governo. O “papi” permanecerá aconselhando de casa. A novidade, segundo a fonte do RR, é a criação de uma secretaria de assuntos microecômicos ligada diretamente à Presidência da República.

O convidado para o posto é o presidente do Insper, Marcos Lisboa, uma espécie de guru econômico de Maia. Lisboa fez o mesmo trabalho, sem tanta pompa e recursos, no primeiro governo Lula. Antes disso, o eclético economista havia sido um dos autores da “agenda perdida”, um conjunto de propostas – a maior parte microeconômicas – feito por solicitação do então candidato à presidência Ciro Gomes. Lisboa foi convidado por Antonio Palocci para participar da equipe econômica de Lula.

Vem daí sua convivência com Henrique Meirelles, então presidente do Banco Central. Como nos dizeres de Darcy Ribeiro, Marcos Lisboa vai ser o “fazedor de fazimentos” gostosos para o empresariado, que Maia tanto quer agradar. Meirelles continuaria pegando no pesado e tocando as reformas. No entanto, mesmo com a garantia dada por Maia, passaria a ser “meia âncora” da economia. Afinal, teria um regra três tinindo, sentado no banco do Palácio em condições de jogo, coisa que nunca aconteceu neste cada vez mais passageiro governo Michel Temer.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

10.07.17
ED. 5657

Show Business

João Doria prepara mais um de seus road shows para “vender” São Paulo. No dia 21, embarca para a China, onde terá seguidos encontros com investidores. A área de transportes será a agenda predominante. Recentemente, Doria recuou da proposta de privatizar as Marginais. Mas vai que aparece um caminhão de dinheiro na sua frente…

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

10.07.17
ED. 5657

Caçando ativos

A petroleira indiana ONGC está à caça de ativos de E&P no Brasil para reduzir a exposure na inflamável Venezuela.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

10.07.17
ED. 5657

Máquina de crises

Prestes a transferir o controle para os bancos credores, a Máquina de Vendas enfrenta um novo problema. Fabricantes de eletrodomésticos estariam se recusando a fornecer produtos enquanto a rede varejista não saldar antigos débitos. Os próprios bancos entraram no circuito para impedir a falta de mercadorias e o agravamento da crise da empresa.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

10.07.17
ED. 5657

Planos para o IPO

Rubens Menin, dono da MRV Engenharia, já faz planos para o IPO do Banco Inter.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

10.07.17
ED. 5657

“Briga de condomínio” em PPP de Alckmin

A “Fazenda Albor”, maior Parceria Público-Privada de habitação da América Latina e menina dos olhos de Geraldo Alckmin, tornou-se um problema de razoáveis proporções para o governo paulista. Hoje, quando os envelopes da concorrência para a construção de mais de 13 mil moradias populares forem abertos, os vencedores da licitação deixarão o pregão sem saber quando as obras vão começar. O projeto, de R$ 2 bilhões, engloba três municípios: Guarulhos, Arujá e Itaquaquecetuba.

Ocorre que os dois últimos resistem em conceder benefícios fiscais, leia-se isenção ou abatimento do IPTU e do ISS para as construtoras, incorporadoras e demais empresas que atuarem no projeto. As tratativas entre o governo paulista e as duas prefeituras têm sido tensas. Na semana passada, a equipe de Alckmin fez uma série de gestões para resolver o impasse antes da licitação.

No entanto, até a sexta-feira, as partes não haviam chegado a um acordo. Consultada, a Secretaria da Habitação de São Paulo informou que “o cronograma para a negociação com as cidades segue dentro do previsto”. As Prefeituras de Itaquaquecetuba e Arujá não se manifestaram.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

10.07.17
ED. 5657

Farelos de poder

Seja Michel Temer, seja Rodrigo Maia, pouco importa: a tropa governista da Câmara já duela pelas quatro pastas tucanas que deverão voltar às páginas dos classificados nos próximos dias. PMDB e DEM são os mais ávidos pelas cadeiras de Bruno Araújo (Cidades), Antonio Imbassahy (Secretaria de Governo), Aloysio Nunes Ferreira (Itamaraty) e Luis linda Valois (Direitos Humanos). A bancada do PSDB se reúne nesta semana para formalizar a rebelião contra o presidente Temer, liberando seus deputados para votar contra o governo na Comissão de Constituição e Justiça e no plenário da Câmara.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

10.07.17
ED. 5657

Preliminares

Entre os demais candidatos à compra da ViaVarejo, notadamente a Americanas, o acordo entre Pão de Açúcar e Michael Klein foi interpretado como um “pré-contrato” para a transferência da rede varejista. Ambos abriram mão de qualquer disputa judicial remanescente da fusão entre a Casas Bahia e o Ponto Frio, em 2010. Com isso, limaram arestas pontiagudas para a venda da ViaVarejo. Segundo uma fonte enfurnada nas negociações, esta teria sido uma condição do Pão de Açúcar para reabrir as negociações com Klein sem risco de contestações judiciais. O empresário já retomou as conversações com fundos que devem se associar a ele na operação. Procurado, Klein disse “não confirmar as informações”. O Pão de Açúcar não se pronunciou.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

10.07.17
ED. 5657

Trem pagador

A avalanche que caiu sobre caciques do transporte público no Rio acendeu entre as empresas do setor a paranoia de que Julio Lopes está colaborando com a Lava Jato. Lopes comandou a Secretaria de Transportes na era Cabral. Era muito bom de trânsito, especialmente com as concessionárias do setor.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

10.07.17
ED. 5657

O eclipse do Fies

Segundo o RR apurou, a Ser Educacional trabalha com a estimativa de que em até quatro anos o Fies responderá por menos de 15% dos seus matriculados. Há cerca de dois anos, esse índice chegou a ser de mais de 40%.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

10.07.17
ED. 5657

Presidência ofertada

A presidência da Eletronorte está sendo ofertada aos parlamentares indecisos da base aliada.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

10.07.17
ED. 5657

Blindagem

Um dos maiores produtores de etanol do país, o Grupo Virgolino de Oliveira (GVO) está fazendo de tudo para salvar dedos e anéis nas negociações com os bondholders. Todo o esforço está concentrado em preservar suas quatro usinas, transferindo aos credores apenas ativos não operacionais. No total, o grupo deve mais de US$ 800 milhões aos sedentos bondholders.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.

10.07.17
ED. 5657

Ponto final

Procuradas, as seguintes empresas não se pronunciaram ou não comentaram o assunto: Máquina de Vendas, GVO e Ser.

Para poder comentar você precisa estar logado. Clique aqui para entrar.